Michael Jackson me deixou borboletas

Voz única, potência, danças que marcaram palcos e diversos videoclipes e composições sensíveis, Michael Jackson é um artista incrível. Além de produtor, empresário, ativista, dentre tantas outras coisas.

Se vivo, ontem, completaria 59 anos. Foram diversos sucessos que fazem de MIchael singular. Eu, muito fã que sou, não poderia deixar de prestigiar esse grande artista, que muito contribuiu para a música, em especial o R&B, se tornando, pra mim, o Rei do R&B, not pop.

Trilhando carreira desde os cinco anos, eu só o descobri por meio do meu pai algum tempo depois, para o meu total encantado (que voz).

Adulta, fui marcada por uma canção, Butterflies. Sétima faixa do álbum Invincible (10º álbum do cantor), de 2001, composição de Marsha Ambrosius (Floetry). A música foi escolhida para ser um dos três singles do disco. Inclusive, tornou-se a música favorita do cd pelo próprio Michael Jackson.

Butterflies não foi sucesso nas rádios e talvez não seja a canção mais escutada pelao fãs que conhecem o repertório do cantor, mas sem sombra de dúvidas é a minha música favorita.

Eu passei a enxergar o mundo de forma mais sensível e a acreditar que as borboletas, capazes de despertar apenas pelo amor, são realmente reais. Butterflies trás a tona uma questão: nem sempre nossos melhores sentimentos serão correspondidos , afinal “tudo que você faz é não responder aos meus chamados”.

E mesmo me “perguntando por que, quando tudo que eu posso fazer é suspirar”, é possível seguir. Butterflies é uma canção de amor, daqueles não tão correspondidos e mesmo assim causam sensações estranhas, borboletas por dentro.

É um amor tão sincero que ganha tanta emoção na voz única de Jackson. É a promessa de amor pra uma vida inteira e essa é a única coisa que ele deseja : “estar com ela esta noite”.

“If you would take my hand, baby I would show you, guide you to the light, baby. If you would be my love, baby I will love you, love you ’til the end of time”.

“Tudo que tenho a dizer é que devo estar sonhando, não pode ser real”, ele se foi (eu não acredito). Há 8 anos deixando eternas borboletas.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.