Eu podia dizer tantas coisas, mas dize-las, seria até demais. Quantas vezes eu disse isso para a mesma pessoa que para mim não foi capaz de retribuir a minha paz, estou cansado de ficar repetindo, até queria conseguir sonhar de novo.

Penso novamente, me sinto pedindo socorro. Talvez eu devesse tentar extrair algo disso tudo, pensar na maturidade, na sinceridade, no tempo decorrido, pensar em todos os sentidos.

Porém eu me lembro, lembro do amor que me fez sorrir como ninguém mais fez, do jeito feliz que me fazia querer tentar outra vez, de tudo o que a gente viveu, de tudo que a gente sofreu, ainda assim queria uma chance, de poder voltar atrás, mas jamais para desfazer algo, e sim, poder ter feito mais.

Então eu relembro das coisas, que nos fizeram chegar aqui. Penso que não muito longe, logo ali, existiu um amor que zelasse por ti. Tu foi o primeiro e verdadeiro amor que eu já vi, vivi e senti, mas entendo que agora, sem você, tudo o que eu desejo é partir.

Partir do lugar que um dia jamais imaginei que fosse estar, porque eu sempre estava a sonhar com alguém que fosse como você. Há de mim souber que para te ter, doeria tanto, e mesmo assim eu estava do seu lado, mas no fundo eu já sabia que seria dolorido, porque mesmo após todos os ocorridos, eu ainda queria ser seu amigo, ou pelo menos, nunca há deixar ter partido...


‘’ Sufoco, de palavras não ditas " WJ