Notes from Indaiatuba- o início

Achei que seria mais difícil. As coisas parecem aos poucos encaixar em seus lugares com uma tranquilidade que não me é totalmente familiar.

Só no final da primeira semana percebi o prejuízo causado pela ausência de silêncio das noites em São Paulo, a anos não dormia tão bem.

Os cães se acostumam a viver do lado de fora com a ajuda da grama, do sol e de casinhas improvisadas com as caixas de papelão vazias.

Os pensamentos vão se soltando do emaranhado e sendo separados da mesma forma que os objetos da casa: o que fica, o que precisa de conserto, o que deve ser descartado. Tudo o que se encerra dará espaço para o recomeço.

O que incomoda é a distância das pessoas queridas e a falta de companhia nos momentos em que a vontade é só conversar. Mas logo concluo que preciso aprender o silêncio na voz e nos pensamentos.

Like what you read? Give Leonora De Mauro a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.