MALINI's CLASS @ UNISINOS

The Political Change: from Seattle and Porto Alegre to the whole world over descentralized networks

After Seattle: the World Forum at Porto Alegre, RS, Brazil became a pole of alternative politics and social movements.

Evo Morales, Chávez, Correa, Lula: all activists became presidents in Latin America.

BACK TO 1999: a boy created NAPSTER (P2P CULTURE).

NOVO MODELO DE ARQUITETURA DE REDE:

"CENTRALIZA OS NÓS, DESCENTRALIZA OS CONTEÚDOS."

PENSAMENTO POLÍTICO: MULTIDÃO!!!

SINGULARIDADES QUE COOPERAM EM REDE!!!

AGROECOLOGIA (Laércio Meirelles): MST, AgroBoys (estilo burguês, mas são contra a Monsanto).

As singularidades que atuam em multidão na rede geram uma nova arquitetura de rede: ação direta sem grandes mediações.

Cultura de baixar o aplicativo e compartilhar as músicas = cultura da amizade.

CRIMINALIZAR O P2P É CRIMINALIZAR A AMIZADE!!!

Política do compartilhamento gera startups — sistemas alternativos de comunicação autônoma: mídias sociais (Wordpress, Soundcloud, Blogger, Flickr, You Tube, My Space).

Napster caiu: what's next?

GNU(Linux, copyleft)TELLA: trilha. Pacotes anonimizados. Descentralização total. Como um ponto precisa perguntar a outro, a outro e a mais outro, era lento. Não era só MP3.

KAZAA: acelerava a busca via superusuários. Porém, a comunidade hacker enviava arquivos maliciosos.

eMULE: fila — se você doa menos, você vai lá para o fim da fila. Quem doar mais, irá compartilhar mais rapidamente. Permite doar pedaços de arquivos. Conceito de ENXAME criado em Seattle agora foi trazido para a Computação, inserido na cultura P2P.

TORRENT: sepultou a judicialização dos players, mas trouxe a judicialização dos pares (o pai morreu, mas o filho de 4 anos responde pelo pai que baixou arquivo com copyright). O arquivo de 1 Kb tem um endereço criptografado. O aplicativo SEMEIA (seeding) o programa e, aos poucos, você começa a receber pedaços. Uma pessoa pode compartilhar um pedacinho infinitesimal, que está sob um guarda-chuva maior, que tem o nome do arquivo. HASH, HASHING. Quanto mais gente tem o arquivo, mais veloz será a experiência de troca.

TWITTER: HASHTAG (você está adicionando um pouquinho do seu conhecimento, agregando-o a um imenso conhecimento sob aquele termo — somatório de micropolíticas).

1999: BLOGS CRIAM A CULTURA DA TIMELINE (publica, textos curtos, links, ordem cronológica reversa).

2001: 11/09 WTC — ataque DDOS (escravizavam máquinas p/fazer requisições ao mesmo servidor; aos milhões, fazem um servidor cair; caiu a mídia corporativa, os blogueiros passaram a ser fontes da informação). A hegemonia do breaking news da TV caiu c/o atentado (assim como caiu a hegemonia do rádio p/a TV c/a morte de Kennedy).

Jornal: crônica cotidiana. Mosaico da cidade. Veículo que tenta criar uma crônica da vida da cidade sob um formato de trabalho consolidado (editor, repórteres, centralização).

Blogs, histórias no Google Maps: reportagem com a narrativa feita por pessoas de outras redes. Um coletivo.

AÇÃO COLETIVA: FORMAS DE MOBILIZAÇÃO POLÍTICA NOS GRAFOS.

Conceitos de RUÍDO e de PRESSÃO: chama a atenção, pauta a mídia corporativa e os políticos. CARGA VIRAL EMOCIONAL. INTELIGÊNCIA DE ENXAME. CARGA VIRAL EMOCIONAL.

GONÇALO TAVARES: VIAGEM À ÍNDIA (15M, Primavera árabe, OWC).

Toda estrutura tem uma arquitetura de redes (design), uma ideologia e uma NARRATIVA.

Sábado, 15/06 a segunda, 17/06/2013: #VEMPRARUA. + de 170.000 tuítes.

A rede tem um tempo, uma forma narrativa de acontecer: essa narrativa demanda a construção de gerações (GEPHI).

REDE DE RTs: REDE DE CONVERSAÇÃO.

REDE DE Tuítes: mais descentralizada, mais pulverizada.

NETVIZ (Facebook): traz o conteúdo — vídeos, fotos, áudio, texto, links — da timeline.

VOLUME, VARIEDADE, QUANTIDADE de tuítes (agendamento, viralização).

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.