Baseado em Cláudios reais #14

Cláudio se achava mais inteligente que a média 
Ele leu todos os livros clássicos 
Claudio viu todos os filmes relevantes 
Se rodeou de amigos artistas importantes 
Arrumou uma namorada artista famosa na internet
Claudio só vai no bar pra ter discussões filosóficas 
Ou pra falar mal das pessoas comuns 
Alias, pessoas? Claudio odeia
Imagina, ele está muito acima disso!
Cláudio detesta aparecer 
Ele tem 20 argumentos pra taxar de ridículo quem tira selfie 
Cláudio tem um ataque de pelanca cada vez que alguém fala TOP ou dança funk
Em qualquer discussão Cláudio já abre umas aspas 
Pra citações famosas que não são dele
Ou pra contar histórias de quando estava com o amigo fulano ilustríssimo querido
Sem falar nos originais autografados que tenho na estante , já te mostrei esse aqui?
O perfil de Cláudio só tem fotos de suas coisas e seus gatos 
“Só o que vale a pena” 
Cláudio perguntava coisas que na verdade ele queria responder 
E não esperava ninguém terminar de falar 
Até porque a opinião de Cláudio era mais importante 
Tudo o que a galera curte é lixo
Tudo o que Cláudio curte é GENIAL 
Tudo o que os outros fazem é RETARDO BANAL
Tudo o que Cláudio faz é contemporâneo 
Cláudio tem medo de pintar 
Mas critica outros pintores ferozmente pois esses idiotas não sabem nada 
Bando de gente sem talento 
Um dia Cláudio acorda mas ele não é ele 
Ele virou um saco de papel pardo 
É incômodo andar daquele jeito 
Dentro dele existem várias coisas pesadas 
Cláudio começa a tirar os objetos
Vai saindo de tudo
Só coisas que Cláudio tem pra dizer que tem
Discos de jazz que Cláudio nunca ouviu 
livros que ele só leu pela metade mas finge que AMA 
Pilhas e pilhas de desenhos emoldurados 
Os gatos que nunca viram a luz do sol 
Filmes preto e branco que Cláudio nem curte mas diz que NOSSA AMO
Os amigos famosos que mal sabem quem Cláudio é 
Frases desconexas de Nietzsche que Cláudio costumava parafrasear 
Por fim a namorada de Cláudio que ele nem gostava tanto assim 
Cláudio tirou tudo e se viu….VAZIO 
Sem suas coisas 
E as pessoas que ele usava como coisas 
Cláudio não era nada 
Não sobrou uma opinião própria sequer 
Um afeto sequer 
Não existia nenhuma verdade pra além daquela arrogância
Nada conectava Cláudio a ele mesmo 
Inerte no chão do banheiro 
Cláudio ouve um sopro de esperança
Esta tocando Dança do Bumbum, do grupo gerasamba
Cláudio lembra de sua infância 
E da fantasia de carnaval ridícula que sua mãe fez
Que saudades de gargalhar sem saber o motivo
Cláudio pensou no dançarino Jacaré 
Que delicioso sorriso inocente e contagiante 
Cláudio adormece sem perceber 
Ao acordar ele percebe que aquilo tudo foi um sonho macabro 
Cláudio se inscreve em aulas de lamba aeróbica e para de ser chato pra caralho

Fin

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.