Gênero afeta sua saúde mental (e o capitalismo também)

Um homem matou sua família violentamente e em seguida se suicidou. A justificativa, deixada em uma carta ainda sendo avaliada pela polícia, é que tinha medo de não mais prover o sustento e o padrão de vida de seus dois filhos e esposa.

Bem, uma pessoa no infinito da internet viu essa notícia e percebeu (corretamente) que a pressão da vida nesse mundo capitalista safado deixa a todos nós doentes. Nossa cabeça não vai bem pois vivemos com medo. Receamos não ter como pagar as contas e o mercado, receamos não poder dar o conforto que achamos que nossa família merece.

A família da notícia tinha um padrão de vida relativamente alto, mas isso não impediu o pai de ser tomado pelo medo de perder seu emprego.

Essa análise inicial está correta porque, óbvio, o capitalismo nos deixa doentes. Nossa saúde mental está em último na lista de preocupações dos patrões. Nem sei porque tenho que escrever isso.

Em seguida, outra pessoa nos lembrou (e corretamente) que, embora o homem estivesse doente, grande parte desse crime terrível foi influenciado diretamente pela socialização masculina.

Homens são educados para a violência e para serem provedores. Quando não mais veem perspectivas de continuar a prover sua família, pensam ser seu direito terminar com a vida de seus filhos e esposa. Homens acreditam que mulheres e crianças são suas propriedades, só olhar no tanto de feminicídio que temos.

Mais uma vez isso é tão óbvio nem sei porque tenho que escrever.

Mulheres não aparecem tão frequentemente em manchetes assim, embora elas sejam maioria nas estatísticas de depressão e outras doenças mentais. Eu não sei o que você pode concluir disso, mas eu vejo somente uma coisa: a socialização tem influência direta na forma como as pessoas reagem à doenças mentais e lidam com seus problemas.

Depressão, ansiedade, estresse e suicídio são problemas reais e para todos os sexos. Devemos sim levar em conta como os padrões de gênero afetam as experiências psicológicas das pessoas. Assim poderemos ajudar homens que matam suas companheiras ou pensam em se matar. E poderemos ajudar mulheres que enfrentam tantos problemas e pressões que posso escrever mais mil palavras facilmente só descrevendo.