A cabana

No alto de um morro, com seus dois andares de grandes tabuões de madeira dispostos sob um terceiro compartimento feito inteiramente de concreto, estava ela. Uma cabana de formato clássico. Parecida com os chalés dos contos de fadas. Beleza humilde e estonteante. Para os que não há conheciam, um mistério total. Aos que ali viviam, a liberdade era o maior trunfo que poderiam querer.

Construída do zero, desde a primeira pedra. Os pilares que sustentam toda a estrutura, puderam acompanhar de perto o projeto, o desenvolvimento e a conclusão de um templo. Local que reunia gerações e sentimentos distintos. Um caos, à princípio, em primeira vista. Ao desmembrar os mais insignificantes pedaços, era impossível não amar.

Este local abrigava uma família, composta por quatro pessoas. O pai, mentor e idealizador de todo o projeto, vivia uma vida itinerante. Durante alguns bons meses, estava fora. Resolvendo, segundo ele, problemas e burocracias externas que envolviam o sítio onde a família viveu durante muitos anos. Quando voltava, era recebido sempre com muita alegria e entusiasmo por parte de todos os membros da família.

Bem perto dali, familiares haviam se instalado há alguns anos. Irmãs e suas respectivas famílias passaram a conviver diariamente durante o período de construção da cabana. As duas famílias eram completamente — pelo menos à primeira vista — iguais, levando em consideração que os dois pares de irmãos eram homens.

As histórias que as duas famílias viveram naquele local, serão lembradas pelo resto das vidas daqueles que as presenciaram. Momentos de alegria, de felicidade e de união por um bem maior. Alternados por situações de geravam tensão e nervos à flor da pele, em todos. Obviamente, o aprendizado trazido com o tempo, resolveu praticamente todos os possíveis problemas que poderiam haver.

O fim da etapa de construção — pelo menos da estrutura principal — se deu em aproximadamente um ano após seu início. No entanto, até os dias atuais ainda existem partes inacabadas em todos os cômodos da bela moradia. Talvez seja esse o seu projeto: ser inacabado. Uma criação que teve começo, meio mas não teve fim. O projeto de viver uma vida livre de limitações, afinal, quem é que decide quando uma coisa está realmente pronta? Como ter certeza de que um projeto foi finalizado por completo? É possível que ela tenha sido feita para ser assim. Simples, misteriosa e imperfeita. Como muitas coisas na vida são. Talvez a maioria. Mas o que importa, no fim de tudo, é que uma casa diferente foi construída por uma família diferente, com a intenção de viver uma vida diferente. Seria, realmente, muito difícil ter um pouco de normalidade em uma situação como essa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.