Continue a nadar

O primeiro dia útil do ano. Eis um ótimo dia para voltar a escrever, considerar as boas decisões de 2015 e traçar as intenções para 2016 — entre elas, escrever regularmente e melhor, seja em português ou inglês.

Retorno hoje de férias mas fique tranquilo, esta não é aquele tipo de redação que você detestava na escola. Neste período o maior contato mantido com as redes sociais se deu ao ouvir alguns podcasts de retrospectiva de 2015, um ano bastante lamentado para a grande maioria dos brasileiros.

Enquanto ouvia, pensava: "Particularmente, não foi um ano tão ruim pra mim. Mas por que? Acho que preciso encontrar respostas e repetir tais práticas, seja lá quais forem!".

O ano de 2015 no Brasil foi marcado por acontecimentos genéricos, que repetem-se infelizmente ano após ano. Violência urbana absurda, total falta de disposição e planejamento político, corrupção (da sede do Planalto à sua ligação clandestina de tv a cabo) e um baixíssimo investimento em educação, de forma geral.

Fora daqui, o terrorismo e as sequelas do fanatismo voltaram a assombrar o noticiário, o que convenhamos, também não chega a ser grande novidade. A impressão que fica, porém, é que vivemos um ano terrível, digno de esquecimento. Lamento refletir que, ao julgar pelos noticiários, não veremos melhorias em breve. Talvez por que o mundo esteja realmente piorando ou por que nos atentamos ao que repercute mais, isto é, notícias ruins?

Listei então algumas boas práticas que me ajudaram a encarar 2015 como um ano muito melhor do que o da maioria.

Comprometa-se mais e cumpra promessas

Em geral, problemas de comprometimento costumam atrapalhar nossas vidas de várias maneiras. Uma vez melhor resolvidos quanto a isto passamos a ter liberdade para nos comprometermos com o que realmente acreditamos (por mais que pareça contraditório).

Deixe de lado projetos e práticas em que não acredita e cumpra da melhor maneira possível tudo que acordar. Pague suas contas e seus credores em dia, entregue projetos e justifique suas falhas e dificuldades com antecedência, esqueça as desculpas, seja lá quais forem…

Corte gastos e poupe mais

Vivemos em um país em crise, é claro, todos sabemos. 
Cancele a academia que você não usa, exercite-se na rua ou no parque. Pare de comprar por impulso, ao invés disso abandone aquela aba do navegador aberta para pensar melhor e comprar na semana que vem. Coma e beba menos, concentre os gastos em programas mais intimistas ou em uma bela dieta — que deve beneficiar tanto sua saúde quanto seu bolso.

Eu sei, parece um conselho bobo, batido, ok… no meu caso, não só cortei gastos como poupei bastante realizei uma viagem maravilhosa graças a isto.

Julgue menos, crie mais

Quanto mais você lê e educa-se mais percebe que julgar comportamentos alheios não só é uma prática inútil quanto prejudica em geral mais você mesmo que o julgado.

Cuidar ou prestar a atenção nos outros faz com que você perca tempo e disposição suficientes para investir em uma ideia legal que poderia ter aparecido. Novos empreendimentos — qualquer ideia que você dedica um tempo de estudo e planejamento é um empreendimento - teria te dado mais prazer de viver. Seus dias seriam menos amargos e com isso o mundo lhe pareceria um pouco mais afável…

Não tente mudar a opinião dos outros

Uma ótima prática para quem usa redes sociais, por exemplo.
Esqueça a opinião alheia desde que ela não seja responsável por agredir ninguém. Se for o caso, é crime, denuncie, faça sua parte.
Senão é apenas seu ego se manifestando. Se falarem mal de seu filme, livro ou música favoritos, seus ídolos, seu time, seu partido político (você realmente defende um?), sua religião, releve e deixe pra lá!

Só se vive uma vez, amigo. Se você gosta, goste, ame, idolatre, seja o que for. Mas esqueça sobre convencer os outros. Lembre-se que somos diferentes e você não precisa de opiniões alheias aprovando o que você gosta para ser feliz. Desgaste-se menos com discussões e viva melhor.

Acha difícil? Fica a recomendação do episódio Unfollow do podcast Café Brasil. Nele, Luciano Pires dá uma bela solução para evitar amarguras e chateações com opiniões distintas e agressivas, nas redes sociais e na vida!

Repense, mude e faça!

Há alguns anos repito um mantra que sempre me ajuda a evoluir:

No dia de hoje preciso ser uma pessoas melhor do que fui ontem.

Mas melhor exatamente como? Essa é a resposta que você deve buscar diariamente. Melhor nos relacionamentos com quem amamos, melhor no trabalho, melhor nos conhecimentos tecnológicos e por aí vai.
Reflita sobre ontem, sobre quem você foi. Comece a trabalhar em uma mudança para ser melhor hoje…

Invista em uma viagem

Morei na Inglaterra e viajei por toda a Europa 11 anos atrás. Era um cara aventureiro, desbravador e sem medos. Dez anos se passaram e me entreguei a uma certa letargia baseada em uma melhora profissional. Alguns anos sem férias, projetos sem fim enfileirados ano após ano. Deixei de ser um viajante, criei raízes…

Me casei há 2 anos e a lua-de-mel me salvou. Voltei a viajar depois de tanto tempo e me senti vivo como antes, aquele frescor de aventura, conhecimento e novas ideias voltou a borbulhar em minhas veias. Há alguns dias voltei de NY — 2 viagens em 2 anos - eis uma nova prática fixada em 2015.
Esqueça um carro novo, roupas caras, aquele celular ou videogame da moda. Invista em conhecer o mundo ao seu redor e deixe sua mente lidar com isso. Podem aparecer soluções para seus supérfluos justamente aí…

Seja um tanto egoísta

Tema polêmico, eu sei. Quando digo egoísta me refiro no sentido de encontrar formas de cuidar de sua vida primeiro. Manter-se saudável de corpo e mente, motivado, produtivo e seguro certamente vai ajudar a contribuir com a vida dos outros no futuro.
Repare que nas instruções pré-vôo, ignoradas pela maioria, somos sempre aconselhados a adequar a própria máscara de oxigênio antes de ajudar outros a fazerem o mesmo.


A vida é dura para todo mundo, amigo. Não tome esse texto como um conjunto arrogante de regras, são apenas visões que me ajudaram a viver um ano mais produtivo e agradável - de corpo e mente.

Quando se sentir inseguro, lembre-se da Dory (Procurando Nemo) e continue a nadar, apesar de tudo e de todos. As coisas tendem a melhorar.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Henrique 'Foca' Iamarino’s story.