Isso foi adicionado LITERALMENTE HOJE, quase 10 anos após a participação dela na parada.
Izzy Nobre
3719

Ora, se adicionou hoje ou há dez anos atrás, o que importa é o que aconteceu de fato, não é mesmo?

O fato é que ELA PARTICIPOU SIM DA EQUIPE, ou seja, ESSA sua acusação específica foi invalidada. Ou estou errado?

Acompanho o seu trabalho há um bom tempo, e sempre te achei sensato, mas pelo que parece, você fez esse fuzuê todo para, basicamente, acusar a menina de exagerar no currículo (carece de confirmação). Prática essa que só charlatão faz… e o resto dos profissionais.

Você acusa a menina de charlatã (mesmo conhecendo pouco do trabalho dela), porém podemos analisar o trabalho dela da seguinte maneira. Ela se vende principalmente como:

  • Formada no MIT — sua acusação: “É uma forma particularmente curiosa falar qual a sua formação acadêmica”. Não vale nem refutação, mas ela já comenta em um vídeo do YT sobre a formação no MIT e sobre os Majors e Minors;
  • Ter experiência em grandes empresas — sua acusação: não aparecer o nome dela nas notícias, ou nos site oficiais. Esse caso da Microsoft já foi refutado. Inclusive, no vídeo que vc indicou da palestra da Bel, em nenhum momento eu a ouvi dizendo que era criadora do projeto, muito pelo contrário, ela diz que teve que escolher um projeto (algo que já havia sido iniciado). E ela deixa bem claro que era um estágio (repete algumas vezes que teria um curto período de experiência na empresa, por isso teve que correr);
  • Ser empreendedora — sua acusação: falar mal dos projetos dela.
    Ainda que a pessoa só tivesse casos de falência, isso não tiraria dela o “título” de empreendedora, muito menos a sua experiência com essas tentativas. O fato é que ela possui alguns projetos ativos, além da hamburgueria. Podemos deixar que o tempo mostre as suas capacidades, o desfecho desse projeto será um argumento mil vezes mais válido do que qualquer texto que ela, eu ou você possamos escrever;
  • Ajudar as pessoas a conquistarem seus objetivos — Sua acusação: ser muito auto ajuda e cheio de clichês. Até vou concordar com você… heheheh. Mas será que não há um público que ela pode alcançar oferecendo esse tipo de produto? E que de fota possa ser ajudado? Isso é imoral? Eu acho que não. Vou confessar que há um tempo atrás fiz um curso (gratuito, claro) nesse FazInova e me surpreendi, nem tanto pelo conteúdo do curso, mas principalmente pelo método que entrega o que promete. Impulsiona a pessoa a praticar determinada habilidade para se aprimorar até chegar “na sua melhor versão de si mesmo” (olha eu fazendo a propaganda)

Bem, esse é o meu feedback à sua hipótese. Não interajo muito nas redes sociais, mas curto bastante o seu trabalho e por isso estou te dando essa resposta.
Acho que vc pisou na bola, pq fugiu do seu padrão. Não curti muito o seu vídeo que fala da hamburgueria, mas concordei com muitas críticas que vc fez ao projeto. Mas esse seu texto parece ser algo muito mais passional que racional (Tem uma pegada muito Reinaldo Azevedo, saca? hehehe). Parece que você iniciou a pesquisa determinado a confirmar uma hipótese, que já existia a priori, e como era de se esperar, toda evidência apontou para a sua confirmação.

Quem sou eu pra te dizer isso, Izzy, mas você sabe como a internet é. Seu texto está simplesmente alimentando o outro lado dos fanáticos. Tenho certeza que um grupo veio te atacar simplesmente pq vc falou mal da Bel Pesce, mas você sabe que está alimentando um outro grupo que agora odeia a Bel Pesce simplesmente pq você não gosta dela. Você sabe que nenhum desses dois grupos está interessado em saber a verdade, eles só querem confirmar suas paixões e ver o circo pegar fogo.

É isso!

Abraço

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.