Será que eu fui o único que entendeu errado a Bel Pesce?

Nem preciso contextualizar, porque todo mundo já está sabendo do fuzuê que começou com o crowdfunding da hamburgueria Zebeléo, projeto de Bel Pesce, Léo Ganhador do Master Chef e Zé Blogueiro. O resultado: Um fracasso! Apesar de ter conseguido R$ 10k em apenas um dia (5% do total), a internet em massa atacou o projeto porque… enfim, porque essa “massa” odeia gente que tem DINHEIRO. O engraçado é que tem muita gente pensando que os R$ 150k que o cara ganhou no Master Chef é DINHEIRO. Esse é o mesmo pessoal que acredita que quem vence o BBB nunca mais vai precisar trabalhar, porque vai comprar mansões, carrões e viver da renda do troco do prêmio de… 1 milhão de reais.

Falando assim, parece até que eu sou um milionário que acende charutos queimando caras de Ben Franklin (heheheh). Quem dera eu tivesse R$ 150k sobrando, pelo menos eu não precisaria recorrer ao uso de crédito para pagar o meu apto. O que quero deixar claro é que gente RICA mesmo, que tem DINHEIRO, é o pessoal que possui pelo menos alguns milhões de reais em conta (não em patrimônio), situação bem diferente da de um vencedor de Reality Show, que é uma pessoa comum, que vai ter que ralar como todo mundo pra conseguir ter um padrão de vida OK. Isso deveria ser óbvio, até porque basta fazer algumas contas pra chegar a essa conclusão, mas a “massa” é movida pela emoção (geralmente as mais baixas) e não pela razão.

O meu ponto nesse texto nem é o projeto Zebeléo, que recebeu críticas merecidas (principalmente pela ingenuidade de ignorar essa possível reação dos haters), mas mesmo assim eu tenho certeza que eles conseguiriam alcançar a meta no Kickante, porque a grande maioria dos que estavam criticando não tem nada a ver com o público da Bel Pesce mesmo, ou seja, ainda que fosse uma excelente campanha, eles não contribuiriam da mesma forma. Acredito que a decisão de tirar a campanha do ar e devolver a grana do pessoal foi para não desgastar a marca.

Até aí tudo bem: Haters gonna hate, críticos gonna criticar, puxa-sacos gonna puxassaquear e projetos gonna ter sucesso ou falhar. Tudo conforme as leis divinas. O problema foi quando a ira do Primeiro Demônio (quem se lembra de Buffy?), que também assume diversas formas virtuais na internet, se voltou contra Bel Pesce — A Charlatã. Muita gente passou a atacá-la, mas o ataque principal e que mais tem alimentado esse rage todo foi o texto do Izzy Nobre
A situação pintada é a seguinte:

Bel Pesce, uma pessoa que se vende como:
* Formada no MIT (vários títulos);
* Milionária e empreendedora de sucesso no Vale do Silício;
* Vasta experiencia com altos cargos em empresas como Microsoft e Google;
* Com base em toda essa sua experiência, ela oferece palestras, livros e cursos para te ensinar como também ficar milionário.

Izzy desmontou toda essa imagem da Bel Pesce de forma fabulosa. Principalmente mostrando evidências que levam a crer que ela não teve altos cargos nessas empresas do Vale (foi apenas estagiária), não é milionária (muitos de seus projetos provavelmente nem deram lucro), e sobre a sua formação no MIT… ela usa“ uma forma particularmente curiosa para falar de sua formação acadêmica”. 
Sem dúvida nenhuma, o artigo do Izzy destruiu ESSA imagem da Bel Pesce… Mas a pergunta que deveria ser feita antes é:

QUEM É QUE TINHA ESSA IMAGEM DA BEL PESCE?

O Izzy com certeza não tinha imagem alguma dela (ele confessou que não a conhecia antes da polêmica). Bem, eu posso falar da minha experiência:

Conhecia a Bel de entrevistas no Pânico no Rádio, Danilo Gentili, etc. Certa vez eu estava interessado em fazer alguns cursos online (gratuitos, ÓBVIO) e me lembrei do seu site, FazInova. Foi então que passei a pesquisar mais sobre ela, vi algumas palestras e alguns vídeos no YT. Apesar de achar meio piegas a ideia de “A Sua Melhor Versão”, achei interessante essa mentalidade (americana?) de tirar os projetos do mental e passar para o material. Foi então que escolhi um dos cursos. De princípio gostei muito de ver como ela fez parcerias com empresas para desonerar o usuário final, sobre o conteúdo, pensei que seria um curso muito básico, mas quando vi que cada aula tinha entre 1 e 3 minutos, tive a certeza de que seria MUITO BOBO. Como eu sou um péssimo jogador de poker, eu SEMPRE pago pra ver… E vi que depois de algumas curtas aulas que me direcionavam cada uma para um exercício específico, eu já estava colocando em prática, sem nem perceber, um projeto que vagava por minhas idéias (não venha me dizer que o correto é “ideia”, pois TODAS as minhas idéias são acentuadas) há muitos anos. Eu estava desenvolvendo um potencial adormecido. Foi então que caiu a ficha: “A SUA MELHOR VERSÃO”… 
Miséravi, não é que é verdade mesmo!? 
É um “slogan” muito coerente com o produto, pois o curso não tem nada de mais a nível de conteúdo, mas te direciona, de uma forma muito simples e adequada ao nosso ritmo de vida, a PRATICAR e a desenvolver o seu potencial. GENIAL!

Bem, eu não sou O FÃ da Bel Pesce, e talvez não a conheça tão bem, mas a questão é que a imagem que eu sempre tive dela foi a de uma guria, uma moleca, porém uma guria que tem um invejável “instinto de ação” que a levou a ter experiências muito interessantes (MIT, estágios em grandes empresas, empreendimentos, livros publicados, etc) e que montou um forma bacana de compartilhar essas experiências e essa mentalidade adquirida. Diga-se de passagem, uma mentalidade muito necessária em nosso país. Em nenhum momento eu a vi vendendo a ideia de ficar rico e nem a vi como uma milionária (nem me lembro de vê-la falando em cifras), mas sim formas de como plasmar os sonhos, realizar os objetivos, empreender, etc.
Meio auto-ajuda? Parece que sim (e até eu cai nessa). Mas o fato é que ela tem algo a oferecer e há um público que deseja consumir, pois isso realmente AJUDA. Para um público mais experiente, talvez o seu produto seja muito superficial, como parece ser o caso da Bruna Paese, mas para muita gente está valendo a pena. Eu mesmo nunca tirei um real do meu bolso para projeto nenhum da Bel Pesce e acredito que a maioria do seu público tem esse mesmo perfil, por isso comparar os seus negócios com esquema de pirâmide ou compará-la a criminosos como Bernard Madoff é uma puta duma injustiça.

A minha impressão com isso tudo de “caiu a máscara da Bel Pesce”, é que quem arrancou essa máscara de forma violenta foram as mesmas pessoas que a colocaram. É uma forma de falácia do espantalho, destruíram uma imagem que eles mesmos criaram, pois quase nenhum deles a conhecia antes da polêmica.

Acredito que esse barulho todo não afetou tanto o seu verdadeiro público, pois quem já acompanhava o seu trabalho nunca teve essa imagem dela. Ou
Será que eu fui o único que entendeu errado a Bel Pesce?

PS: Acompanho e curto bastante o trabalho do Izzy, mas acho que nessa postagem ele pisou na bola porque fugiu um pouco do seu padrão e está fazendo algo muito passional (talvez em resposta aos fanboys da Bel que vieram encher o saco porque ele questionou a capacidade empreendedora do seu objeto de adoração). O dito dossiê não passa de uma análise apaixonada do CV e de algumas alegações (interpretadas também de forma passional) da Bel Pesce. É capaz até que algumas de suas suspeitas se confirmem, mas até agora não tem nada que venha a denigrir a carreira da menina.
Numa coisa eu tenho que concordar com ele: Temos um jornalismo LIXO que não sabe fazer análise de material ou verificação de informações. Inclusive vemos veículos de imprensa considerando o trabalho feito pelo Izzy como se ele tivesse apresentado algum tipo de prova. Deprimente!