Uma história de vida

Sabe, eu queria compartilhar uma história de vida com vocês e ao mesmo tempo confessar uma coisa: eu sou hipócrita. Isso mesmo, uma pessoa que finge sentir algo que não sente, demonstra uma opinião que não tem ou dissimula qualidades que não possui. Ah não Maria, você é só falsa. Peraí, falsa também não, eu sou hipócrita mesmo. E por que eu estou falando isso? Simplesmente porque deixar de ser hipócrita é muito difícil.

Dá medo de falar o que a gente realmente acha né? Dá. Dá medo as consequências, dá medo a opinião e julgamento dos outros. Aliás, falando em julgamento, eu sou uma pessoa que julga, estudei por muitos anos em uma escola que todos julgavam todos e cresci com medo de ser julgada constantemente, daí vem minha hipocrisia.

E isso é desculpa pra continuar assim? Óbvio que não, é exatamente por isso que eu estou apanhando tanto da vida.

Eu aprendi que julgar os outros é tão péssimo para você mesmo quanto para quem está sendo julgado. É ai que entra a hipocrisia, passei a pensar no motivo que me levava a julgar aquela pessoa: inveja? Falta do que fazer? Falta de conhecimento? Cada situação foi uma análise e um autoaprendizado, e mais do que a análise para aprender, eu aprendi de verdade quando me via nas situações que eu julgava e é ai que vem o tapa na cara, aquele “nossa Maria Carolina olha só o que você está fazendo, você se arrepende? Não? Então pára de falar dos outros”. E foi ai que parei, passei a apontar o dedo pro espelho ao invés de apontar para as pessoas e voilà! A vida é tão mais leve quando a gente para de odiar os outros…

Continuo julgando? Sim. Continuo me pegando em pensamentos hipócritas e mesquinhos e ridículos? Sim. Mas calma né, tenho só 23 anos e a vida toda para apanhar ainda, o que não dá é para ficar no conforto dos julgamentos babacas e não mudar.

Aliás, você já se julgou hoje? Já fez sua auto-análise hoje?