O que aprendi escrevendo emails merdas para pessoas fodas.

Sempre que descubro um trabalho/site/blog de alguém incrível, eu mando um email para dar os parabéns e também para tentar dividir os meus projetos.

Não sei a sua tática para mandar email, mas minha é bem simples: escrever de uma forma bonitinha, copiar, colar, mudar um pouquinho e mandar para o máximo de pessoas possíveis.

Mais ou menos assim:

Conhece essas pessoas? A Tina é a designer que criou o blog Swiss-Miss, a Tattly, o CreativeMornings e muitos outros projetos. O Biancoshock é um artista que tem se destacado com projetos que desafiam os limites entre ativismo, arte de rua e performance, já o Evan cria instalações digitais tão fodas que eu nem consigo explicar.

Me levou um tempinho para perceber quão merda eram os emails que estava mandando e o quanto eu poderia aprender com essas pessoas ao invés de só mandar um link com o projeto.

A ficha só caiu quando mandei um desses emails para um cara que chama Jeff Greenspan, que me achou no face e respondeu assim:

O que era para ser um Skype de 15 minutos durou 1 hora, aprendi mais sobre criatividade neste call do que em toda minha vida profissional. E isso me fez pensar, nem todo mundo consegue fazer o que o Jeff fez por mim.

Com o tempo aprendi que tem muita gente foda por aí querendo ajudar quem está começando, mas não conseguem pela quantidade de emails merdas que recebem.

Like what you read? Give Caio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.