O que nunca aprendi sobre criação

Eu e o Lucas tivemos uma ideia quando ainda estávamos na faculdade, e como todo mundo, transformamos em um board/videocase.

Sempre ouvi que o único jeito de se destacar como estudante de criação é inscrevendo ideias em prêmios de estudante, e foi o que fizemos.

Para minha surpresa esse video aí, que saiu de um ppt animado, acabou ganhando muitos deles. Fomos escolhidos os melhores estudantes do mundo pelo Young Guns, e até recebemos um Clio em NY.

(*A facul pagou pelas as inscrições, mas só depois de saber que a gente tinha ganho)

Até aí tudo lindo, mas fiquei pensando, e se a gente mandasse essa parada para o Financial Times? Já que tanta gente criativa viu, julgou e premiou, por que não? Afinal era só encontrar o email da galera.

Sem pensar 2x mandei um email para o CEO copiando a VP de comunicação e o diretor global de novos negócios.

Senti que resposta foi meio rasa e tentei de novo, afinal já não tinha nada a perder mesmo.

Depois disso tudo, fiquei pensando, acho que tem uma coisa muito errada na forma com que aprendi "criação".

Todo esse movimento aconteceu e eu nunca testei a ideia, nunca conversei com ninguém fora do meu mundinho, nunca experimentei algo diferente ou aprendi algo realmente novo no processo de criação, pelo contrário, minha única preocupação era deixar a mesma ideia melhor e mais apresentável.

Em toda a faculdade e cursos que fiz sempre aprendi a vender uma idea, mas ninguém nunca me ensinou a fazer.

Like what you read? Give Caio a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.