Subversão

Eu quero cantar as putas

Maldizer as vigentes condutas

Dizer pro Deus Dos Desgraçados

Que pra voltar já está atrasado

Eu quero cantar às putas

Tirar os de bem das grutas

Destruir o Arco do Triunfo

E do cristianismo o trunfo

Quero explodir o ódio na rua

Sangrar a carne crua

E que benquisto seja Satã

Se acordar são de manhã

Invocar a Deusa Negra poderosa

Com seu black, poder, glamurosa!

Desfilá-la em cargo importante

E gritar o horror agonizante

Expurgar, expiar, virar Jesus

Aquele mesmo, o que morreu na cruz

Onde ele está? Aqui não é

Por mais que repita essa vossa fé

Ele bebe Cabernet com o golpista

E com toda essa gente malvista

Anda de jatinho no céu

E diz que ganância é fel

Eu quero que você se foda

Eu quero que o mundo exploda

Em metal, chips e sanduíche

E que se foda essa rima também.

Zé Ferino tem o inferno na boca.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.