Piromaníaco no oceano

Eu costumava ser mais livre, mais leve, agora eu me sinto um poeta amanhecido que se embriagou no meio da semana. Pra onde foi toda minha coragem? Agora sou refém de alguém que me poda, quando você era quem me cultivava. Eu era mais criativa, tinha essa aversão a pertencer ao marasmo, tinha raiva do tédio e medo de me entregar a rotina, agora eu sou só mais um, agora eu sou outra formiga, eu criava coisas a partir do nada, eu reinventava o resto, eu achava peculiaridades em coisas jogadas fora, eu criava musicas, eu ria de coisas tolas e fazia os outros rirem, agora eu tenho sido muito mais entediante, mais invasiva e ríspida em certas respostas.

Quem eu me tornei? Que tipo de criança eu abandonei em mim? Tenho quase certeza que minha criança interior era extrovertida e sonhadora, mas agora… agora eu sou casulo de um piromaníaco no meio do oceano, sou uma criança chata e sem amigos que esta quase apática por ficar tanto tempo presa.

A criança que eu fui teria vergonha de quem eu me tornei.