Anotações de um período desconectado

Resolvi começar 2019 de uma maneira diferente, ou melhor, encerrar 2018.

Pouco antes das 23 horas do último dia do ano de 2018 resolvi desinstalar todos os aplicativos de redes sociais, inclusive o Whatsapp.

Meu plano era passar os primeiros dias de 2019 sem esse tipo de contato.

Eu tenho os meus motivos, que não são mais importantes do que o ato em si, que por sinal, recomendo para as demais pessoas.

É incrível o quanto produtivo nos tornamos quando abandonamos “vou ficar só cinco minutos”, que viram quarenta no Instagram ou mesmo “só vou responder uma mensagem no Whatsapp” e quando percebe, o mundo passou e você ficou preso à uma tela de quatro ou cinco polegadas.

Nota: o que vem adiante não é uma crítica a quem usa o celular de maneira deliberada, são apenas reflexões, e se interpretarem como crítica, que seja direcionada a mim mesmo, afinal, a reflexão foi minha diante de uma mudança do meu comportamento. Combinado?

A mecânica foi simples, eu anotei todos os insights que tive durante os últimos dez dias e eu que não sou de fazer listas, fiz uma baita lista que está aí.

Confira:

  1. Muitas pessoas me perguntaram se eu estava doente ou estava passando por algo grave. Como chegamos a este ponto? Você consegue me apontar qual foi o instante dessa mudança?
  2. Conversar não é necessariamente se comunicar. Comunicar é mais sobre ter iniciativa.
  3. É assustador o quanto somos dependentes do celular e do consumo de entretenimento.
  4. O imediatismo gerado pelo celular é o maior responsável pela nossa ansiedade.
  5. É muito bom viver um pouco ausente do excesso de informações que recebemos e consumimos diariamente.
  6. Apesar de não enxergarmos a internet é uma bolha enorme e estamos presos dentro dela.
  7. Descobri que é possível limitar por tempo o uso de aplicativos no iPhone. E sem dúvidas, já é a melhor descoberta de 2019!
  8. Ultimamente eu passo mais tempo no celular do que o que eu dormia nos últimos dois anos de faculdade. E eu dormia por volta de 4,5 horas/dia.
  9. Me desligar nesse início do ano diante dessa transição de governo foi a melhor escolha para iniciar 2019.
  10. Não é necessário responder tudo na mesma hora. O SMS resgatou essa lembrança.
  11. A necessidade de compartilhar existe, por quê existe a necessidade de compartilhar?
  12. Dentre muitas propostas, a internet tem o intuito de encurtar distâncias, mas ela também coopera com os distanciamentos das relações.
  13. O celular, além de várias funcionalidades, também faz chamadas. Experimente usar essa incrível ferramenta!
  14. Desativar as notificações do e-mail foi mais uma excelente atitude. Criar rotina, com horário de leitura foi uma das melhores coisas que fiz. O senso de urgência permanece. E como recebo e-mails 24 horas por dia, acabo me distraindo durante boa parte do dia lendo e-mails desnecessários.
  15. Não mandem fotos de churrasco, mandem convites para churrascos.
  16. Não foram férias do celular, foram férias do imediatismo.
  17. O uso de alguns aplicativos em excesso, me torna improdutivo. Descubra quais são os seus e crie limites, é urgente esse bilhete!
  18. O seu uso do celular impacta o tempo do outro. Ou quem nunca ficou na fila do café esperando a pessoa terminar a mensagem, para pegar o seu café?
  19. Não comprar brigas que sei que não irei ganhar. Esse é um dos motivos da minha volta.
  20. Nesse tempo eu descobri que criaram a expressão detox virtual. Pelo menos me perguntaram se eu estava fazendo um.
  21. Não era falta de tempo e sim de gestão. Tempo útil são as 24 horas do dia. Pois mesmo as horas utilizadas quando estou dormindo são importantes.
  22. Percebi que muito do que me incomodou nesses dias no uso do celular pelos outros, me incomodou porque eu ajo da mesma forma.
  23. Eu voltei porque não posso mudar o mundo, mas a mim eu posso mudar.
  24. Desativar as notificações de todos os aplicativos, facilita o resto do que quiser fazer.
  25. Lembrar de fazer backup antes de excluir o WhatsApp da próxima vez.​

É isso aí! Feliz 2019 e já adianto: vai ter muita coisa legal por aqui!

Publicado originalmente em Textos do JC.