Por que devo acreditar no que Deus me disse?

A palavra do Senhor Jesus é atemporal, não se limita a um tempo específico. Na verdade ela nem precisa do próprio tempo para existir, como o texto nos diz

“Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão”. (Mateus 24:35)

Jesus é o que fala, e fala o que Ele é. O Evangelho segundo João apresenta Cristo como o motivo de todas as coisas existirem.

Ela transcende a criação, não se limita a tempo e espaço. Ela, na forma escrita, resistiu a mudanças em todos os âmbito, penetrou em culturas, épocas e governos. Impérios se levantaram e caíram, outros surgiram e da mesma forma foram extintos. Mas a palavra, os fragmentos dos pensamentos de Deus e seu caráter continuam ativos como agentes transformadores (2 Timóteo 3:16).

As influências dos assírios, egípcios, romanos e babilonios não resistiram ao tempo. Foram substituídos, dando lugar um ao outro. Embora hajam esforços para que deixem de perambular pelo mundo e voltem com uma nova roupagem, nada podem gerar no coração do ser humano a não ser morte. Mas segundo Jesus, o que Ele fala, sendo o próprio Deus, é espírito e vida (João 6:63).

O que devo escolher então? Confiar no que Deus, o Sustentador de todas as coisas diz?

Devo acreditar no que tem sido poderoso o suficiente para mudar nações e governos durante toda a história da humanidade. Ou optar por situações geradas por pressões e/ou crises políticas atuais?

A Palavra de Deus é digna de toda aceitação (1 Timóteo 1:15). Olhe ao seu redor, avalie, a realidade palpável, às vezes banal, mostra onde está a mentira e onde está a verdade. Nada merece mais sua confiança do que essa palavra.