Ainda existe esperança.

Nasceu mais um dia com o céu cinzento. 
Mas a rotina continua. 
O tempo não para, já dizia Cazuza.

Mas existe aquele momento que não é ele quem para, mas sim sou eu quem paro. 
Paro, respiro e observo,
e vejo tudo igual sem cor,
sem vida, sem ânimo.

São dias cinzentos assim que vem a chuva. 
Alguns dizem que viram o arco íris
Pergunto onde, procuro onde está a cor da vida.

Olhando baixo, desanimado, sem forças,
abro olhos, e vejo rosas maravilhosas. 
Vejo as maravilhas do mundo lá fora.

Flores nascendo no meio da tristeza, dessa selva de pedra
Vejo girassóis tão belos quanto o sol
Vejo maravilhas que o dias cinzento e triste trouxeram no final.

Afinal ainda existe esperança, 
ainda existem rosas,
E flores há nascer. 
Ainda existe amor.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.