Fotografia, Tinder e o amanhã, o que isso tem a ver?

Humberto Lemos
Sep 12, 2018 · 4 min read

Durante uma aula de fotografia de produtos, o alvoroço acontece. Novidades, técnicas, macetes, desafios… a imagem final. Em um aprendizado de como ser e estar "fotógrafo", o grupo anima. Um ledo engano!

Prezado aluno, você não tem ideia! A fotografia, o Tinder e o amanhã estão bem longe do seu futuro e do seu ontem.

A fotografia do amanhã tem estrita relação com você e não com o outro. Não basta fazer uma foto bonita, colocar uma roupa legal, ser "cool", moderninho e coisa e tal, isso é papo para o Tinder. A fotografia do amanhã não é ser Bob Wolfenson, Sebastião Salgado ou Duran, eles já o são. A sua fotografia não é boa, fato! Você tá pagando é de otário. Se liga!

No seu amanhã, querido aluno, não existe mais espaço no mercado, assim como no Tinder, para seres não pensantes. É necessário ser autor, é necessário ser um, não cópia.

— — — — — — — — — — — D.E.S.E.N.H.A.N.D.O — — — — — — — — — —

Fotos: Francisco Proner Ramos e Daniel Marenco

Francisco é um fotógrafo curitibano de 18 anos que trabalha no Rio de Janeiro. Com apenas 14 anos começou a experimentar a fotografia, escolhendo registrar temas relacionados a movimentos sociais e às contradições da sociedade. No ano de 2015 embarcou em uma expedição de volta ao mundo de carro, percorrendo todas as Américas, Europa e Asia. No ano de 2016, concluindo sua expedição, publicou o livro “Nossa Grande Viagem” com textos e fotos relatando a experiência vivida.

*Francisco Proner Ramos se insere na imagem, vivencia sua roupa, seu suor e suas lágrimas.

Fotojornalista baseado em Brasília, Daniel Marenco já passou por quatro jornais, além de ter trabalhado com publicidade e assessoria de imprensa. Em 2015 foi finalista do Esso, principal condecoração do jornalismo brasileiro, com dois trabalhos. A foto Terremoto em Katmandu mostra uma cerimônia fúnebre no Nepal e foi publicada no jornal Folha de S. Paulo, empresa em que esteve por cinco anos. Já Marcado a ferro e fogo, retrato de um homem torturado por policiais cariocas, foi veiculado em O Globo, onde começou a atuar em 2015. Esteve entre os indicados do mesmo prêmio em 2009, com a série No corredor do inferno, fotografada no Presídio Central de Porto Alegre, pelo jornal Zero Hora.

*Marenco, mais adulto, teatraliza suas personagens. Dramatiza cenas, conta estórias.

Sério que você ainda está pagando pau para o Sebastião Salgado?

[Após oito anos e mais de 30 viagens buscando a natureza em estado original, nasceu “Gênesis”, o último grande projeto do fotógrafo Sebastião Salgado, um livro de mais de 500 páginas de aterradoras imagens com toda as tonalidades possíveis do preto e branco.] Fonte: uol.com.br

Leda por: Leonardo da Vinci, Annie Leibovitz e Witkin

Nas releituras da obra de Leonardo da Vinci, Annie Leibovit e Witkin impõem um olhar autoral, uma identidade, não uma cópia. A fotografia do amanhã, no âmbito comercial ou não, nos impele a produzir fora da caixa, fora do rame-rame, fora da mesmice, nos joga para a frente do espelho de quem realmente somos, autor de nós mesmos. A fotografia do amanhã é real, paupável, não o arremedo de você na foto de perfil do Tinder.

Seja autor, seja autoral, o amanhã te espera!

*eu não tenho tinder

Humberto Lemos

Written by

Fotógrafo, apreciador dos vazios da vida.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade