Ozark, um retrato (re)torcido do Brasil

Um consultor financeiro de Chicago precisa lavar US$ 500 milhões para aplacar a ira de um barão das drogas e arrasta a família para o interior do Missouri.
Ozark é uma série de televisão norte-americana de drama e suspense criada por Bill Dubuque e produzida pela Media Rights Capital. Estrelada por Jason Bateman, a série foi lançada no dia 21 de julho de 2017 na Netflix.
Bateman retrata o planejador de finanças Marty Byrde e Laura Linney faz o papel de sua esposa, uma dona de casa que transforma-se na agente imobiliária Wendy Byrde. Repentinamente, Marty desloca sua família de um subúrbio de Chicago até uma comunidade de resort de verão situada nos montes Ozarks, Missouri. Após um esquema de lavagem de dinheiro ter fracassado ele acaba em dívida com um traficante de drogas mexicano.

Sem procurar dar "spoiler", a série cria 04 núcleos familiares distintos: a Máfia, com o poder supremo, a família de Marty e Laura, classe média alta, envolvida na lavagem do dinheiro, os fazendeiros que resolvem à bala seus conflitos externos (e internos) delimitando áreas de atuação e, como classe operária do crime, a família da ótima atriz Julia Garner, no papel de Ruth.

Julia Garner

Investigando a tudo e todos, um agente do FBI (Jason Butler Harner) com métodos nem um pouco ortodoxos faz uso de recursos ilegais em busca de criminalizar tais famílias.

Ozark, um retrato (re)torcido do Brasil

Podemos aqui definir, segundo Ozark, esse país da seguinte forma:

  • Máfia: Executivo
  • Classe média alta envolvida na lavagem do dinheiro: Legislativo
  • Fazendeiros que resolvem à bala: Sistema financeiro
  • Classe operária do crime: Polarização
  • Agente do FBI: Judiciário

Neste retrato ordinário do Brasil, duas personagens se sobressaem, Ruth e Charlotte Byrde (Sofia Hublitz)​, a primeira por redenção e a segunda pela negação.
 
Bons votos!

Like what you read? Give Humberto Lemos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.