Lançamento do ONOVOLAB, centro de co-inovação patrocinado pela Cartão Elo, Roche e Algar Telecom em São Carlos, SP.

Não explore, fortaleça o ecossistema

Neste artigo compartilho com vocês algumas dicas importantes de como a sua empresa pode se conectar e fortalecer corretamente ecossistemas existentes.

Diferente de quando comecei a trabalhar como voluntário há onze anos, hoje muito se fala sobre ecossistema como um todo, não só sobre desenvolvimento, mas também de empreendedorismo e de inovação. Empresas, em especial as de grande porte, patrocinam não só grandes eventos, mas também promovem encontros, hackathons e desafios. Até aqui tudo bem, o problema está em como estas empresas estão conduzindo estas iniciativas, onde acabam confundindo voluntariado com exploração. Alimentação barata com prototipação gratuita.

Fortaleça iniciativas existentes

A melhor forma de iniciar o relacionamento de uma empresa com os ecossistemas existentes é através do patrocínio e incentivo. Isto porque a grande maioria dos ecossistemas são formados por grupos e comunidades de pessoas que atuam de forma voluntária. Voluntários ativos no mercado de trabalho que dedicam parte do seu tempo livre para compartilhar conhecimento através de artigos e postagens em grupos de discussão online, ou através de pequenos eventos (conhecidos como meetups) ou até mesmo em eventos de médio e grande porte.

Diferente do que possa parecer, o investimento é muito pequeno comparado com o impacto positivo gerado. Para a empresa que patrocina, o principal retorno é o relacionamento com os líderes destes grupos e comunidades, que serão bem úteis para conectar seu negócio com a audiência, em especial validando seu produto/serviço, ou até mesmo para a contratação de novos colaboradores.

Recomendo três tipos de ações:

  1. Eventos menores, meetups e workshops: Muitas vezes os grupos/comunidades nem precisam de dinheiro diretamente, mas apenas de apoio ao oferecer um local para realizar o encontro, com infraestrutura e alimentação adequados. Dependendo do meetup, o dinheiro é necessário para uma produção mais profissional e também para o deslocamento de alguns membros e palestrantes.
  2. Grandes eventos (Ex: Endeavor, CASE, Campus Party, iMasters e The Developers Conference): Grandes eventos oferecem uma estrutura bem organizada para os patrocinadores, desde pacotes de mídia como também todo o suporte para realizar ações antes e durante o evento. O investimento é maior comparado a minha primeira sugestão, porém, só o retorno de mídia tende a pagar o investimento realizado.
  3. Espaços físicos (Ex; ONOVOLAB, Developer Hub — iMasters e WeWork): O investimento em espaços físicos tende a ser maior que as duas sugestões anteriores, porém, a presença da marca será fixa e ocorrerá ao longo do ano, bem como a oportunidade de engajamento com o público. Vale ressaltar que este apoio permite com que outras atividades (eventos/meetups/hackathons) aconteçam no espaço e, em muitas vezes de participação gratuita.

Crie conexões e promova a organização

Ao firmar um patrocínio dentre as sugestões anteriores, a empresa normalmente terá a oportunidade de se apresentar para a audiência. Muito cuidado aqui para não “fazer jabá”. Diferente de audiências tradicionais, aqui ela tende a ir embora ou simplesmente ignorar o que está sendo dito se o discurso for muito “genérico” ou “vendedor”. Aproveite esta oportunidade para ser transparente e sincero. Deixe claro os interesses da empresa e convide para que a audiência conecte-se com os colaboradores presentes. Crie um canal de comunicação direto. Isso será fundamental ao longo do relacionamento.

Outra oportunidade é aplicar a cultura do compartilhamento do conhecimento e de organização “orgânica” para dentro da empresa. Convide outros colaboradores que não fazem parte do projeto para participarem. Aproveite uma reunião geral ou encontro que a empresa realiza e convide quem participou para compartilhar sua experiência. Incentive para que isto aconteça com maior frequência, independente de ser um evento patrocinado pela empresa.

Valide seu produto/serviço e crie oportunidades de negócios

Ao patrocinar grandes eventos ou espaços físicos, a empresa poderá promover desafios que poderão ser apenas para receber ideias/sugestões ou até mesmo criar soluções em cima de um produto/serviço (ideal para hackathons). Esta é uma excelente oportunidade para receber feedback rápido e sem filtro do produto/serviço em questão.

Se o objetivo da empresa é apenas fomentar o uso, recomendo adotar um regulamento claro onde a propriedade intelectual do que está sendo feito é do autor.

Caso a empresa tenha interesse em utilizar o que está sendo criado, recomendo formatar um regulamento que também mantenha a propriedade intelectual, porém que permita o uso do que foi feito pela empresa.

Desafios e hackathons que transferem ou cedem a propriedade intelectual normalmente são criticados pelos grupos/comunidades quando a premiação não é proporcional com o valor que a solução pode ter para a organização.

É muito importante criar e validar o regulamento com empresas que possuem experiência na realização de desafios deste tipo. Convide um líder de comunidade para auxiliá-lo e até validar o regulamento, desta forma você terá uma opinião sem correr o risco dela estar “contaminada”. Mas lembre-se: essa relação ainda não é comercial, portanto, não extrapole. Aproveite os primeiros contatos para sentir se existe “fit” com a cultura da empresa. Existindo sinergia, contrate-o para uma consultoria pontual.

Outro ponto importante é deixar claro para os participantes qual é a expectativa da empresa ao realizar o desafio, se existirá uma continuidade de relacionamento ou não. Muitos participantes ficam frustrados pois criam uma expectativa de negócio ou de contratação que não acontecem.

Leve em consideração a opinião da comunidade/grupo na evolução de seu produto/serviço. Incentive a co-criação. Convide-os a participar de sessões de validação/entrevistas (presenciais ou remotas) para auxiliar no desenvolvimento e priorização do seu backlog. Você será muito mais assertivo e de quebra poderá mostrar o envolvimento da comunidade/grupo na sua priorização, mostrando que eles influenciam a tomada de decisão.

Coloque as dicas em prática

Estas foram algumas dicas que entendo que serão importantes para que a sua empresa tenha êxito no relacionamento com ecossistemas existentes, em especial com comunidades/grupos. Eu já tive a oportunidade de estar nos dois lados da mesa (como patrocinador e patrocinado). Caso você tenha dúvidas ou precise de alguma orientação, entre em contato comigo que eu terei o maior prazer em ajudá-lo.

Texto criado por David Ruiz e revisado por Kell Bonassoli