Como não se tornar uma bosta de pessoa.

‘tem uma festa em minha cabeça & ninguém foi convidado’

Sintonizado com um rio de merda que eu mesmo criei eu resolvi falar sobre o processo de poluição e como retirar todo esse lixo e bagunça criada ao redor de mim mesmo. Não tenho psicólogo, não tenho amigos, namorada, irmãos, família, ou seja, não tenho ninguém pra me ajudar neste meu caso. E não que eu não tenha ninguém, eu tenho muitas pessoas, mas antes de aprofundar nisso uma pergunta retórica: Você confia em alguém?

Não distante dessa realidade mostro através deste texto como se tornar uma bosta de pessoa, até mesmo para facilitar uma engenharia reversa para que esse erro seja encontrado, o erro que está dentro de nós escondido em algum lugar esperando para ser resolvido. Quero encontrar onde errei e com quem errei e ainda por cima descobrir o por que da natureza humana conseguir me surpreender tanto. Os dias hoje são de guerra, conflitos internos os quais eu não consigo vencer por motivos também de guerra. Logo eu, pacifista nunca gostei de guerra e ao evitar guerra com os demais e próximos a mim, criei uma imensa guerra dentro de mim mesmo. E dia após dia preciso vencer batalhas mas continuar perdendo na guerra.

Eu queria ser como qualquer um, mas “um” é só um número e para mim estatísticas são planos de papel. Prefiro atitudes bostas a ser qualquer outro número, ou um mero papel e isso quer dizer até mesmo ter um diploma obsoleto, um casamento por interesse, um emprego mantido por necessidades banais de consumismo absurdo.

Tudo isso se resume em ser um prato que ainda não foi almoçado… é uma analogia interessante de merda, pois veja só, você é um belo prato hoje e o sistema chega no seu “restaurante” faminto de pratos raros ou não tão raros mas são de gastronomias diversas. Até por que o sistema é o sistema, e existem vários tipos de pessoas no mundo. E essa massa global imensa e sedenta por almas nos consome dia após dia. Enfim, nós como bons pratos e de bons restaurantes(famílias) nos adequamos a aquilo que fomos feitos, fomos feitos para sermos comidos. No entanto, o ser humano HOJE já se tornou uma bosta, isso quer dizer que podemos ser considerados já processados pelo nosso sistema digestivo capital que nos suga diariamente para que chegamos ao nosso estado de decomposição.

Essa mesma decomposição é que inicia um processo interessante em relação a merda e sua composição, ali está o que o sistema digeriu e algumas substâncias futuramente podem servir de substrato para outras formas de vida.

Nossa vida é uma boa fonte de tudo que é orgânico, e para a criação de novos micro-organismos isso é importantíssimo, pois o “bosta” tem a alta capacidade de criação que nem ele mesmo imagina. Isso tudo porque houve uma enorme “metamorfose” até ele chegar ao ponto de ser uma bosta. Seguindo essa analogia é possível dizer que a criação de um prato envolve:

Matar animais para carne 
 — Cultivar verduras e legumes (colher, etc…)
 — Processar alimentos para temperos
 — Criar panelas 
 — Finalmente cozinhar
 — Comer
 — Digerir
 — Bostear por aí e repetir todo o processo novamente

É um ciclo e contém uma infinidade de processos que dão “vida” a um prato de comida. E olhando por esse lado vemos que tudo tem um processo ou uma mão criadora, uma organização, tudo exatamente tudo tem um ponto de percepção o qual geralmente ignoramos.

E chegando no ponto que todos nós somos responsáveis pela própria carência, nos ignoramos todos os dias na rua e hoje num nível maior através da internet.

Somos feitos de sistemas dentro de sistemas, como na internet, computadores e afins. Scripts infinitos, produzindo código automaticamente e gerando erros. Programadores corrigem os códigos e eliminam processos que matam o programa, mas o fato é… se somos sistemas quem é nosso programador?

Eu acredito que somos nós mesmos através do que comemos, bebemos, fumamos, falamos, observamos, e outras coisas a mais que atraímos… existe uma quantidade enorme de evidências, porém só podem ser vistas à níveis mais simples de ideias e a complexidade que chegamos aqui não nos permite olhar para um sistema finalizado de forma compreensível hoje para o próprio homem. Ninguém nos criou, nós nos criamos. everyday

Enquanto houver vida, você terá que produzir bostas pelo caminho.”

Por se falar em vida, pense em criação… Ao pensar em criação podemos ter infinitos processos, e no final é exatamente isso. Nós nos criamos infinitas vezes e do modo que desejamos sempre, isso quer dizer que se você for uma bosta de pessoa, tá tudo bem. Pode ser apenas um estado, ou também poder ser pra vida toda. O fato é, não se desespere…

O “bosta”, volto a dizer tem enorme percepção sob a vida. Se há um nível superior de vida ele pode estar em lugares dos mais inferiores à lugares mais superiores possíveis. Estudando a biologia percebi que micro-organismos lutam em si em uma infinita batalha pela sobrevivência, e nós por nossa vez como micro-organismos da Terra também travamos batalhas infinitas por dinheiro e poder. Outros impossibilitados por motivos infinitos travam batalhas com suas próprias mentes e hoje vivemos estados cada vez mais infinitos, dimensões cada vez maiores. E mais outra pergunta, há quanto tempo estamos na Terra?

Você precisa se sentir um “bosta”, em algum momento para responder as perguntas deste texto. Falo de um modo harmonioso para com os meus, por que sinceramente já não se há espaço para questões fúteis ou indigestas, neste estado você deve se limitar a ser apenas parte do universo ou combustível de algo. Se supere, se eleve e seja sempre uma substância que em cima de outra que compõe outras e geram coisas, transformando-se em moléculas que podem ter cheiro ou não… E por falar no cheiro, certos aromas são mais fortes que outros por puro alinhamento. O alinhamento é real, qualquer alinhamento pode gerar desde uma imagem até uma substância, então quando falo de se sentir um “bosta”, apenas alinhe seu pensamento ao nada e pare de se sentir assim.

cuidado com a gravidade da lua!