#1

queriam as palavras
forçar um mistério
estrondar o problema
às vésperas da revolução

queriam elas ter força
de criar a estética
ao reiventar a centelha
da ação, da imagem, da luz

e elas diziam, contudo,
maria, coimbra, conjuntivite vírica
eu sou, eu quero, eu preciso
não sei, não posso, não faço

e era eu, e era eu, e era eu.
o eu era, o eu era, e o eu era.

são dessas instâncias que se morre,
maria diria,
com sua chávena, seus gatos e o alprazolam.

e as cores idem.
os faróis também.
e as palavras idem.
na nossa boca.