Ou há amor ou há partida

Você sorri como se ela fosse importante, diz que ela adiciona algo em sua vida, a abraça apertado como se nunca fosse soltar, então se afasta sem motivos e a deixa com falta de ar e com o coração na boca.

Ela sente receio de perguntar algo, tem medo de alguma consequência se pedir uma resposta e deixa este sentimento a preencher e esmagar aos poucos, como se num dia frio tivesse sido deixada trancada para fora de casa.

Você não percebe, ou pior, não se importa. Só quer saber das suas conquistas pessoais e das suas barreiras ultrapassadas, não se importa com mais ninguém nem nota. Na realidade, só vê seu próprio umbigo por mais que alguma outra pessoa faça.

Ela respira fundo e decide seguir em frente quando você, entediado, entra em contato. De repente, todo aquele peso desaba em cima dela e a força daquela mulher desaparece. Ah, ela se torna tão pequenina e perde a fala.

Você e ela se atraem como um ímã, mas ela se fere como uma presa encurralada. Você precisa aprender de vez e deixar essa mulher ir embora. Ela precisa compreender e nunca mais olhar para trás. Vocês vão seguir em caminhos separados e, enfim, a felicidade virá fazer morada.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.