Death is Eternal #21

Vamos rápido e rasteiro para a newsletter desta semana pois estou com pressa. Motivo da pressa? Nenhum.


Odeio spoiler na capa

Acho que não há como separar o término deste livro (Lendas do Mundo Emerso — Os Últimos Heróis) do final da saga do Mundo Emerso. A italiana Licia Troisi criou um universo rico, um universo muito interessante, um universo que durante um bom tempo foi o meu universo ficcional favorito. É triste vê-lo parti-lo tão cedo, e ao mesmo tempo tão tarde. E é assim que o próprio livro termina, ele é demorado mas muito rápido. Não há uma grande batalha, uma grande vitória, o final é apressado e acontece tão de repente que eu achei que o livro estava com páginas faltando. Foi uma resolução rápida demais para uma construção lenta demais. O que é o que acontece com a série, mas de forma contrária. O Mundo Emerso foi construído rapidamente (primeira trilogia), mas demorou para encrerrar-se (segunda e terceira trilogia). No geral o livro é bom, e no geral o Mundo Emerso é interessante em conceito mais mediano em histórias. Há algo de nostálgico que não me deixa pegar mais pesados na crítica para o universo de Troisi, eu gosto sem saber direito porque. Fico triste que tenha acabado, mas fico feliz que o último capítulo tenha recebido seu ponto final.


Meu teclado é assim muito mais vezes do que eu gostaria que fosse

Eu sou péssimo com smalltalk, simplesmente horroroso. Eu não sei puxar assunto, eu não consigo começar uma conversa do nada. Se eu estiver perante um desconhecido, ou até mesmo um conhecido que eu vejo pouco eu não sei nem como agir, muito menos o que falar. E isso é uma merda, socialmente falando. Vocês conseguem imaginar o que é ser incapaz de falar com as pessoas? Vocês conseguem imaginar o nível de timidez que isso me faz ter? Ou será que é a timidez que me torna incapaz de falar e achar assuntos para um smalltalk? Interessante, nunca tinha pensado nisso, enfim… É por isso que eu gosto tanto de escrever, posso me expressar sem ninguém me encarando. Eu não olho nos olhos das pessoas enquanto elas leem o que escrevo, e isso é reconfortante. Resumindo: sou tímido e odeio smalltalk.


Alan Shore e Denny Crane >>>>>>> abismo >>>>>>> os dois acima

Recentemente terminei a primeira temporada de Suits, e eu nem ia falar sobre ela por aqui pois gosto de julgar a obra depois de várias temporadas, mas como essa newsletter está sem muitos assuntos vou abrir uma exceção. Achei a primeira temporada bastante decepcionante, a história bate sempre na mesam tecla em basicamente todos os episódio (spoilers: trama sempre parece girar em torno do Mike não conseguir entrar de cabeça no direito e ter sempre um "plano B" para fugir da nova vida, e no Harvey ser fodão). Além disso o ator que interpreta o Specter é péssimo. Nossa, até eu que não sei atuar sou melhor do que ele. Ele parece um robô, não importa o que aconteça a sua expressão é sempre a mesma, e enquanto isso faz sentido no trabalho nas relações pessoais isso é péssimo. Porém, preciso fazer aqui a ressalva de que isso pode melhorar, talvez em temporadas futuras o ator se sinta mais a vontade no papel e atue melhor (por isso eu gosto de deixar acumular algumas temporadas antes de comentar). O elenco de apoio é interessante, com exceção do Louis que é um acúmulo sem graça de clichês e obviedades. Enfim, enquanto dramédia sobre o mundo do direito Suits deixa muito a desejar quando comparado com Better Call Saul e, principalmente, Boston Legal.


Comportem-se até a próxima semana, ou não. Foda-se, façam o que acharem melhor. Só não me culpem depois se der merda.