Dia -1, 4/8: Neymar e os superfavoritos

Neymar tem a missão de comandar a seleção olímpica. Foto: Marcelo Camargo/EBC

A obsessão brasileira pelo ouro olímpico no futebol tem tudo pra terminar em 2016. Nunca fomos tão favoritos numa competição. Claro, já houve outras seleções olímpicas fortíssimas, como a de Bebeto e Ronaldo, em 96, ou a de Ronaldinho e Alex, em 2000. Mas nessas Olimpíadas a distância do Brasil para os rivais não era tão grande.

O Brasil tem Neymar, um dos melhores do mundo na atualidade, e Gabriel Jesus, a última grande revelação surgida no futebol brasileiro, além de ótimos jogadores como Gabigol, Renato Augusto, Felipe Anderson e Marquinhos. Além disso, ganhou, com a demissão de Dunga, um treinador estrategista, que conhece o grupo e está em lua de mel com a torcida: Rogério Micale.

Por outro lado, os principais adversários não conseguiram trazer seus melhores jogadores dos times europeus, como a Argentina, a Alemanha e Portugal.

O grupo do Brasil na 1a fase é acessível, o que nos deve ajudar a passar em primeiro, contra África do Sul (estreia hoje, às 16h, em Brasília), Iraque e Dinamarca. Nas quartas-de-final, deveremos pegar Nigéria ou Suécia ou Colômbia. Nas semifinais, Alemanha ou Portugal (de novo!). Se espantar o fantasma do 7x1, fará a final dos sonhos contra a Argentina no Maracanã. Eu aposto no ouro, e você?

Show your support

Clapping shows how much you appreciated 2016 Todo Dia’s story.