Saudade

Saudade eu sinto, muita saudade. Saudade da época em que todos viviam, saudade dos momentos em que todos sorriam, saudade dos sabores, das texturas, das cores e das formas. Se soubesse como dói a saudade iria aproveitar mais aqueles momentos. Mas é o carma do ser humano, sempre reclamar que não houve tempo de aproveitar aquele momento. Vou insistir em tentar aproveitar todo presente e futuro, mas sempre na certeza de que nunca será suficiente, pois não há coração em que não se habita a saudade. Saudade é certa como a vida, como a morte. A única certeza que temos é a de sentir saudade um dia. Vou tentar aproveitar esses dias, pois quando a saudade vier posso me lamentar por não ter feito mais, mas algo de bom eu vou fazer, pra ser saudade boa e não consumidora. Viva a saudade, que nos arrepende, nos aprisiona, nos põe em reflexão… e que claro, nos deixa morto de saudade.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.