Memória

“Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão.”


Para o meu amor findo que hoje longe se encontra.

A finidade do Nós.

É beleza funesta

Fez de mim

Nudez da alma

Com teus olhos.

Por entre mar e areia

Fez-me naufraga.

Agora flutuo

Não o vejo,

Infindo mar

Passa por mim.

Vejo as nuvens

Que você não sabe capturar.

Sinto-me uma delas

Você me vê daí.

Sinto a tinta de suas mãos

Ao me marcar.

Sinto-te.

Na água que invade meus pulmões.

E me faz fluir

Em tudo que há em ti

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ley’s story.