Retrospectiva 2016

O Felipe Fialho postou uma retrospectiva que me fez lembrar de todas as coisas que me aconteceram durante o ano de 2016.

Decidi então, escrever também esta retrospectiva. No começo hesitei, pois não tenho ainda grandes conquistas profissionais nem desenvolvi grandes projetos; mas logo em seguida percebi que seria uma tremenda ingratidão ignorar as pequenas conquistas deste ano.

Início do ano

Em janeiro, concluí o desenvolvimento da minha primeira aplicação Web. Foi um catálogo de móveis planejados com um painel de gestão de produtos, representantes e fornecedores.

É importante saber do contexo disso pra entender a loucura que foi:

  1. eu era analista financeiro nessa empresa, não um dev;
  2. eles não tinham sequer um “menino da informática”, mas queriam abrir uma nova empresa de representação de móveis planejados e tiveram a ideia de criar um portal online, com o catálogo dos produtos para apresentar aos lojistas;
  3. eu me propus a desenvolver isso sozinho.

Foi um período de enorme aprendizado para mim, e muito importante, pois foi a partir daí que surgiu todo o meu interesse por desenvolvimento Web.

Quando comecei o projeto, não tinha conhecimento de nada além do básico de HTML e CSS, mas tinha muito interesse em aprender (e noção zero sobre desenvolvimento de software). Estudei sobre arquitetura MVC e desenvolvi tudo do zero com PHP. Foi penoso, mas no final funcionava!

Demissão

Meu chefe era um cara difícil de lidar. Eu não concordava com muitas atitudes dele na empresa e acabei saindo. Uma semana depois nós conversamos e nos desculpamos pelos desentendimentos, mas eu não quis voltar para a empresa. Decidi que dali pra frente iria focar todo o meu tempo em aprender sobre desenvolvimento de software, e que não voltaria mais a perder os dias trabalhando em algo sem perspectiva de futuro ou motivação.

Recomeço

Dei um passo atrás. Recomecei. Sentei a bunda na cadeira e comecei a estudar HTML, CSS e JS, e me prometi desde o início que buscaria sempre aprender a base das coisas. Antes de usar jQuery, aprenderia JavaScript. Antes de usar Bootstrap, aprenderia a criar o mesmo resultado sem ele. Sem facilitadores. Sem “ferramentas”. E foi nessa busca que conheci a comunidade de Front-end brasileira e pessoas incríveis! Pessoas que me ajudam direta e indiretamente.

Meio / Final do ano

Até aqui tentei colocar em prática tudo que ia estudando, desenvolvendo pequenos projetos, sempre testando tudo; e então comecei a buscar emprego na área. Queria trabalhar em projetos reais e aprender com pessoas mais experientes. Já acompanhava algumas empresas que desenvolviam alguns produtos bacanas e então mandei e-mails para algumas delas. Foi aí que comecei a trabalhar remoto por um tempo na Crafters.

Infelizmente tinha uma conexão de internet absurdamente ruim, e por isso não conseguia me manter online por muito tempo. Mas tive a oportunidade de aprender muito em um curto período de tempo. Talvez nem eles saibam o quanto me ensinaram sobre desenvolvimento de software, mas sou muito grato à toda a galera da Crafters por esse tempo.

Gratidão

Sou muito grato a caras e minas como Felipe Fialho, William Oliveira, Willian Justen, Talita Pagani, Matheus Lima, Ogil Vieira, Alda Rocha, Zeno Rocha, Bernard de Luna, Fernando Daciuk e outras pessoas fodas que seria impossível citar todas aqui, mas que compartilham o que sabem e motivam outras pessoas a correrem atrás dos seus sonhos.

E agradeço ainda mais ao Matheus Marsiglio, que se dispôs a ser meu mentor e que tá sempre disposto a ajudar em tudo. (Ainda não rolou o lance de mentoria like body builder hahaha, mas tenho aprendido muito com ele nas pequenas coisas).

Não se engane, eu ainda não cheguei lá. No momento que escrevo este artigo eu ainda estou desempregado. E esse é o principal motivo de ter escrito essa retrospectiva: reconhecer as pequenas conquistas.


Originally published at idlua.me.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luan Vicente’s story.