Photo by Alfons Morales on Unsplash

Para quem já conhece meia dúzia de termos técnicos e está familiarizado com algumas práticas criadas a partir do desenvolvimento ágil, aprender metodologias e conceitos ágeis acaba sendo mais fácil — porque há um certo domínio do conteúdo.

Mas, tanto para quem está começando do zero quanto para quem já tem um certo conhecimento no assunto, sempre surge alguma dúvida do que significa expressões como sprint review, product backlog, BDD ou TDD, e para que diabos eles servem.

Então, se você leu a série que eu fiz sobre os princípios ágeis ou outros artigos que abordam o assunto e ficou…


Photo by Max Nelson on Unsplash

Independente da metodologia escolhida, uma coisa é unânime em agile: as pessoas vêm antes da excelência técnica. Isso significa que o Desenvolvimento Ágil não se importa com qualidade? Não, não significa. É bem o contrário disso. A qualidade técnica deve andar junto com a satisfação do profissional.

É por isso que, antes de partir para as atividades de desenvolvimento, o time deve estar alinhado entre si, ter autonomia para decidir o que é importante para o projeto e fazer análises frequentes sobre si mesmos e sobre o trabalho que estão executando. …


Photo by Carl Heyerdahl on Unsplash

Quem está a frente de uma startup ou trabalha para uma, sabe que tempo é coisa tão preciosa quanto dinheiro. Por isso, e por ser um viciado em tecnologia incurável, estou sempre atento a ferramentas que, de alguma forma, me ajudem a otimizar o tempo e facilite meu trabalho.

Então, resolvi unir o útil ao agradável e reunir, em um único post, sete ferramentas que eu uso e recomendo: seja pela necessidade, utilidade ou praticidade que elas me oferecem.

Se você também é do time dos que adoram testar novos aplicativos, está no lugar certo. Se você tem uma startup…


Incorporar metodologias ágeis à rotina da sua startup não é uma missão impossível. Porém, também não é a coisa mais fácil do mundo, principalmente se você não encontrar boas fontes de informação. Mas a verdade é que ser ágil fica bem mais fácil quando começamos pela base e conseguimos entender os valores e princípios do Manifesto Ágil antes de correr afoitos para encontrar as ferramentas e processos perfeitos.

Começar do começo te ajuda a entender por que escolher a metologia X em vez da Y e a ter consciência dos fundamentos que estão por trás das práticas ágeis.

Meu sincero…


Você acha que startups são pequenas empresas de tecnologia? E se eu te disser que existem startups bem sucedidas que não tem nenhuma ligação com desenvolvimento de software? É sério.

Numa abordagem mais ampla, startups são empresas formadas por pequenos grupos de pessoas que buscam modelos de negócios repetíveis e escaláveis, e que trabalham em condições de incerteza. Esse tipo de empresa tem a inovação em seu DNA e busca solucionar problemas de forma criativa.

É exatamente o que faz a Meucopo Eco, uma startup de Florianópolis focada na realização de eventos ambientalmente sustentáveis por meio da venda e empréstimo…


Photo by Daria Nepriakhina on Unsplash

Quando ouvimos falar em agilidade, logo associamos a palavra a algum processo ou prática. Isso não chega a ser um problema, principalmente para quem utiliza métodos ágeis há algum tempo. Mas, às vezes, vale a pena voltarmos duas casas para entender por que escolhemos essa forma de desenvolvimento e o que podemos fazer para melhorar nossos processos.


Para algumas startups, depois da validação da ideia, a escolha do processo de desenvolvimento é o início de tudo. Isso porque é ele o responsável por dar o ritmo e indicar a direção para onde o projeto deve caminhar até se tornar real.

Para quem ainda utiliza o waterfall — modelo cascata, em tradução livre — , chegou a hora de entender por que metodologias ágeis são escolhas mais sábias, que podem facilitar o trabalho do time e garantir mais qualidade ao produto.

Photo by Startaê Team on Unsplash

Para se ter uma ideia, produtos que são desenvolvidos usando waterfall só serão realmente validados ao final…


Quem já trabalhou em empresas tradicionais, do tipo que seguem dress code e manual de conduta, sabe como ir para o trabalho pode, definitivamente, não ser a hora mais feliz do dia. A gravata parece mais uma corda enrolada no pescoço e o trajeto até o computador uma penosa caminhada até a forca.

E como alguém consegue se manter criativo, produtivo e plenamente satisfeito nutrindo uma rotina diária de morte? Pois eu proponho o oposto: dar vida à criatividade, e isso já começa pelo ambiente de trabalho.

Criatividade é sinônimo de mais produtividade. E mais produtividade significa bom rendimento profissional…


A moda começou nos Estados Unidos, em 2005. Quase cinco anos depois, chegou ao Brasil, onde já conta com mais de cem espaços abertos. Os escritórios compartilhados, conhecidos como coworkings, são ambientes propícios à produção criativa e colaborativa.

Diariamente, autônomos, freelancers e startups frequentam esses lugares motivados por razões e objetivos próprios. Eu mesmo comecei a frequentar coworkings quando ainda era freelancer, em uma época em que rotina de trabalho era algo que não existia no meu vocabulário, muito menos no meu dia a dia. …

Idmar Ramos Junior (Id)

UX Designer @ Booking.com

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store