De 2016 para 2015

Uma carta do presente para o passado, na esperança de mudar o futuro.

Querido Klayn de 2015,

Sei que você nunca vai ter a chance de ler isso , — o que é bom, porque isso acabaria com toda a graça — mas tem algumas coisas que eu quero que você saiba. Esse ano vai ser o melhor/pior ano da sua vida e tenho um pouco de medo de que você não esteja preparado pro que está por vir. (Na real, eu sei que você não ta preparado, mas não quis falar isso assim de forma brusca pra não te desencorajar). Enfim, não vou te dizer exatamente o que acontece que é pra não dar spoiler, mas, basicamente, eis o que você precisa saber/fazer:

Não tem nada de errado em não saber o que você está fazendo.

Você está perdido. Não sabe se o curso que faz é o certo para você e não tem uma perspectiva futura muito clara — não sabe nem qual vai ser sua área de atuação. E quer saber, acredite ou não, ta tudo bem! Você tem 18 anos, cara. Tem muito que aprender a respeito do mundo e de si mesmo. Tudo bem ficar perdido. Isso é normal. O que não é normal é você mentir pra si mesmo dizendo que sabe o que está fazendo quando, na verdade, não faz nem ideia. O que não é normal é você aceitar essa situação e achar que você não precisa investir em autoconhecimento ou traçar objetivos mais precisos. Estar perdido é normal. Ser perdido não.

As pessoas não dizem isso pra você (mais porque não tem coragem de admitirem que também não sabem o que estão fazendo), mas a verdade é que a maioria de nos vive e morre feito gado. Vou te dar uns segundos pra processar isso.

E na real, não tem nada de errado em ser gado. Desde que você se sinta bem com isso. Mas se você acorda de manhã com a cara emburrada porque odeia a sua rotina, acha que a vida poderia ser mais do que realmente é, mas passa todo dia tomando as mesmas atitudes, você não quer ser gado, mas está agindo como um. O que nos leva ao segundo ponto.

Ter propósito não é charme. É obrigação.

Existe um “acordo social” para as pessoas com uma realidade parecida com a sua que diz que você tem que nascer, ir pra escola, passar no ENEM, entrar na faculdade, se formar, conhecer alguém legal, ter filhos e trabalhar pro resto da vida. Então a gente simplesmente segue esse passo-a-passo por um simples motivo: esse é o caminho mais óbvio. Pensar por si só, construir um propósito, achar uma razão pela qual levantar todos os dias que não seja simplesmente o fato de estar vivo da muito trabalho. Então a gente simplesmente segue a chamada “linha de produção da vida” e diz pra nós mesmos que estamos no caminho certo.

E esse é o maior conselho que eu posso te dar: tenha uma razão pra levantar de manhã. Pode ser um mantra, uma ideia, uma pessoa ou o que seja. Vamos chamar essa razão de propósito. Falando assim parece meio difícil de encontrar, mas na verdade nem é. Não pense muito sobre isso. A resposta geralmente é aquilo que faz seu coração bater mais forte. (Na real, você até já encontrou a sua, só não sabe disso ainda)

A verdade é que não tem nada de errado em seguir a linha de produção da vida e se ater a isso. Contanto que isso seja aquilo que você almeja. Agora, se você quer fundar uma empresa ao invés de terminar o curso ou se você acha que filhos são uma perda de tempo, não tem nada de errado. Como eu disse, tudo depende de saber o que você quer da vida. Se você não sabe o que quer da vida, releia o primeiro ponto.

Em suma, lembra daquela cena de Matrix onde o Neo tenta dobrar a colher e o garoto fala pra ele que na verdade a colher não existe? Que quem se dobra é você? Pois bem. Não existe caminho mais fácil ou um acordo social pré estabelecido. Não há colher. A única coisa que existe são as suas escolhas. Dobre sua própria colher.

Existem 3 coisas importantes na vida: pessoas, pessoas e pessoas

Vai por mim. Quanto mais levar isso a sério, mais feliz você será. Pensa em um momento irado. Não precisa nem ser tão importante, só precisa ser um momento legal. Agora me responde isso: você tava sozinho? Muito provavelmente não. Na verdade eu sou você, então eu sei que não. As pessoas são especiais, cara. Trate-as como tal. Faça-as se sentirem assim. Diga isso pra elas.

E pelo amor de Deus, leve isso a sério. Qual o nome do porteiro da sua faculdade? Você passa pelo cara todos os dias e não sabe o nome dele. Quando foi a última vez que você abraçou os seus pais? Eu sei que faz muito tempo (eu estava lá). Eles são, na teoria, as pessoas mais importantes da sua vida, mas você nem janta mais a mesa com eles. Prefere ficar no seu quarto assistindo Friends ou qualquer coisa que esteja passando na Warner. Diz a si mesmo que essa é a sua forma de relaxar depois de um dia puxado de faculdade mais empresa, mas você ta me dizendo mesmo que está tão cansado que não pode reservar 20 minutos pra sentar com eles?

Não perca a oportunidade de socializar. As pessoas são fascinantes e tem muito a te ensinar — se você estiver disposto a ouvir, claro. E acredite, pra essa regra não tem exceção. Você pode aprender com qualquer um contanto que esteja aberto pra isso. Com isso você vai adquirir conhecimento, habilidades e, principalmente, boas histórias. Ah e por falar em boas histórias…

Vai lá e faz

A sua vida possui um motor chamado iniciativa. Se você quer algo, vá atrás disso. Simples assim. Sem discurso, sem regras e sem mimimi. Eu sei que essa vai ser a parte mais difícil. Convenhamos, você não é um cara que faz as coisas acontecerem (ainda). Você tem essa mania feia de esperar os outros decidirem por você. De pensar demais antes de agir. De pedir mais uma cerveja antes de chegar naquela mina que já ta encarando a uns 10 minutos. Cara, sério, a melhor coisa que você faz é parar com isso. A vida é muito curta pra você não fazer papel de bobo de vez em quando. Então para de pensar, vai lá e faz! Fala a primeira coisa que vier a sua cabeça e depois vê se deu certo. Manda um áudio de 12 minutos no grupo da empresa dizendo que ama todo mundo. (Desculpa, eu prometi que não teria spoilers…).

Enfim, como seu eu do futuro te dou permissão pra parecer ridículo (mas nem sempre. Só se a causa for muito nobre ou ela for muito gata). Porque hoje, sinceramente, eu não me arrependo de nada do que fiz. Mas me arrependo de algumas coisas que eu não fiz…

No final, tudo vai dar certo

Clichê? Bastante. Mas eu vim do futuro rapaz, e posso te afirmar com certeza: é a mais pura verdade. Esse ano, você vai passar por umas paradas bem pesadas. Eis o que vai acontecer: SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT SPOILER ALERT Eu sei… Pesado né?

Vão haver vezes em que você vai se sentir perdido e desesperançoso. Isso é normal. Todo mundo se sente assim as vezes. Só que vão haver outras vezes em que a vida vai bater na sua cabeça com um tijolo e você vai querer desistir dos seus projetos, do seu caminho ou o pior, do seu propósito. Vai haver vezes em que você vai duvidar de si mesmo e as coisas vão estar uma bagunça. Nessa hora, certifique-se de ter socializado bastante e de ter valorizado as pessoas, pois elas perceberão sua dor e te falarão o quanto você é importante. Nessa hora, também é importante você ter um propósito firme. Lembrar a si mesmo que, por mais que seja difícil o caminhar você possui razões muito boas pra continuar. Mantenha seu propósito à vista. Todo o resto é secundário.

To aqui pra te dizer cara, que, por mais que você não consiga enxergar a luz no fim do túnel, ela está lá. Eu sou a prova viva de que sim. Você passou por coisas que, num primeiro momento, pareciam que iam te destruir. Que iam levar você a se transformar em alguém diferente. Mais frio. Menos aberto as pessoas. Sem propósito. Alguém que aceita o “acordo social” porque acha que não consegue fazer melhor. Alguém que não se relaciona com as pessoas porque tem medo de se machucar. E quer saber? Você quase chegou lá. Você quase regrediu. Mas passou. E hoje você é alguém melhor. Muito melhor. Quero que saiba disso. Você não pode desistir. Porque no final, e quero dizer no final, final mesmo, as coisas vão dar certo.

Em alguns níveis, acredito que você já tinha uma noção de tudo o que eu falei. Eu sei que você nunca vai chegar a ler isso, mas, não sei porque, eu tenho a impressão de que se o Igor com 20 anos fizesse uma carta pra mim hoje, ela seria muito parecida com esta daqui. Talvez essas sejam lições que eu deva reaprender todos os dias. Talvez o Igor de 20 anos possa reler esse texto e reaprender alguma coisa esquecida. Talvez todo novo ano deva ser o melhor/pior ano da vida e todos os anos eu tenha que reaprender a importância das pessoas, aumentar o meu nível de iniciativa, ou relembrar o quanto é importante eu ter uma noção de pra onde quero ir. É claro que também existe a possibilidade de que isso tudo tenha sido uma grande perda de tempo… mas enfim. Meu objetivo sempre foi um só: fazer com que você ficasse bem. E quer saber, Klayn? Você ta muito bem. Então missão cumprida...

Feliz ano novo, moleque.

Forte abraço,

Klayn de 2016

PS: Uma última dica: para de dizer que você não tem tempo pra nada e começa a malhar! Saúde é importante. E convenhamos que você precisa melhorar seus atributos físicos. Att.


Se você chegou até aqui, muito obrigado! Se esse texto fez sentido pra você, eu gostaria muito de saber. Pode apertar o coraçãozinho aqui em baixo só pra eu ter uma noção? Caso tenha um feedback mais direto, adoraria ler a respeito nos comentários :)

Muito obrigado e nós se vê por aí!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Igor Klayn’s story.