Neve Negra

O passado sempre volta para cobrar

Neve Negra é um thriller argentino que tem o elenco composto por Ricardo Darín, Leonardo Sbaraglia, Laia Costa e Federico Luppi. O filme é dirigido e roteirizado por Martin Hordara, com uma trama que gira em torno de dois irmãos que não se falam a muito tempo, Marcos (Sbaraglia) e Salvador (Darín).

No início, a trama apresenta Marcos e sua namorada Laura (Laia Costa), que estão viajando para a Patagônia para poder resolver questões da herança de família com Salvador.

A trama evidencia que há uma tensão antiga entre os irmãos, não superada até hoje. Para desenvolver essa história, o filme transita constantemente entre o passado e o presente. Só que diferente de outras obras que usam essa estrutura narrativa, Neve Negra evita cortes e se apoia em alguns planos-sequência ligando as duas linhas temporais.

Todo o elenco está bem, mas como já é de se esperar, o destaque fica com Ricardo Darín que entrega um personagem amargurado e rancoroso, por causa dos acontecimentos do passado. É interessante ver como o ator transmite o que o personagem sente muitas vezes sem precisar falar. Só de olhar pra ele, é possível perceber que algo não está certo.

Neve Negra é um típico filme de gênero — suspense, nesse caso — e a todo momento se auto-afirma como tal, tentando fazer o público imergir na trama e instigá-lo para a revelação final. Só que é ai que o longa falha, porque já é possível matar a “charada” nos primeiros 30 minutos ou até antes disso para quem prestar atenção nos elementos mostrados.

Como thriller, Neve Negra pode não agradar todo mundo, devido a obviedade das revelações e a quebra de expectativa. Mas em todo caso, vale ser assistido pela atuação do elenco e a forma que a história é contada.

O filme está disponível na Netflix.

Assista ao trailer:

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.