Biografia da Sorte

Fui forjado em meio às brasas
Queimado a ferro quente
Cortaram minhas asas
Obrigaram-me a estar sorridente
Cons-tan-te-men-te

Não resisti por muito tempo
Sôfrego, cedi ao corpulento
Aquela lassiva fera seduziu-me
Deixou-me sedento

Pude pouquíssimas vezes
Saborear o gosto da languidez carnal
Pois sempre surgia como de supetão
Algo a transformar tudo em banal

Houve um dia que me levantei
Despertei as cores do espectro
Iriei-me todo
No fim, todas as cores uniam-se
Mesclavam-se

Esperançoso pelo branco cintilante
Escorreu o negrume lancinante

Morri por meses, milênios
A própria morte foi-me mais atenciosa
O próprio frio foi-me mais caloroso
O Deus deles foi-me o mais doloroso

Enfim, após todo o sofrimento vivido
A dor tornou-se apenas um prurido
Se antes me sentia triste tão fácil
Concluí como ao acaso
Que minha vida é um grande epitáfio.

Fonte: http://98795498594.tumblr.com/
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.