Raízes da Ideologia Nazista

Em 2007 fiz um curso no Museu do Holocausto (Yad Vashem) e na Universidade Hebraica de Jerusalém. Tive a oportunidade estudar com alguns dos melhores analistas, historiadores e sociólogos a respeito da ideologia nazi-fascista.

Tenho alguns livros aqui adquiridos no Yad Vashem, dentre eles, uma coletânea com as principais cartas trocadas entre Hitler, seus generais e ideólogos. Tenho também a Enciclopédia do Holocausto produzida pela editora do museu, simplesmente é a melhor enciclopédia no mundo sobre o assunto.

Na Shoá: enciclopedia del holocausto há uma genealogia detalhada de como a ideologia nazi-fascista foi desenvolvida. E, desde que li esta descrição, me convenci de que o nacional socialismo é uma outra coisa, um fenômeno que não se encaixa na dualidade socialista/liberal. De acordo com vários acadêmico, e a Enciclopédia do Holocausto, a ideologia nazista emergiu como resultado de diversos fatores, dentre eles:

(1) O Movimento “völkisch” (nacionalismo romântico pan-germânico)

(2) Germanismo Cristão (anti-judaísmo popular entre luteranos alemães)

(3) Racismo Científico (antropologia com base no darwinismo social)

(4) Espiritualismo da Teosofia de Helena Petrovna Blavatsky

Essas variáveis forneciam razões científicas, biológicas, religiosas, esotéricas, sócio-políticas e culturais para abraçar o nacional-socialismo. O nacional-socialismo pretendia ser uma visão abrangente da existência, com tentáculos em várias dimensões da vida.

Gregor Strasser

Entre os ideólogos do Partido Nacional Socialista, ainda na primeira metade dos anos 20, estavam os irmãos Otto e Gregor Strasser autores do jornal Nationaler Sozialist. Eles propuseram, de fato, lançar um projeto de revolução socialista de inspiração nacionalista. Hitler se aproveitou do apelo popular do projeto strasserista, mas assim que ascendeu ao poder, Goebbels fez questão de censurar o projeto jornalistico-ideológico dos irmãos Strasser.

“O termo ‘nacional-socialismo’ remete a pretensão do partido nazi de combinar em si os fundamentos de duas grandes ideologias rivais do século XX: o nacionalismo e o socialismo. Isto se relaciona com a reivindicação ideológica dos nazistas de proporcionar ao povo alemão um ‘terceiro caminho’ como alternativa aos dois extremos opostos do capitalismo e do comunismo.” (Dr. Daniel Fraenkel, Redator da Enciclopedia de las Comunidades Judías — Alemania, Yad Vashem In.: Shoá: Enciclopedia del Holocausto. Jerusalém: Yad Vashem, 2000).

Enfim, temo que quando a esquerda ou a direita tentam instrumentalizar o nazismo para usá-lo como “arma” retórica para desqualificação de seus oponentes, exploram aspectos da ideologia que se aproximam do espectro ideológico oposto, mas ignoram, que o nacional socialismo é um fenômeno multidimensional, com raízes em várias tradições e correntes sócio-culturais, nem sempre, políticas. E, ainda, ingenuamente ignoram que o pragmatismo de Hitler oportunizava o apelo simbólico de tais discursos para lograr êxito em interesses absolutamente privados do “führer”. Não dá para simplesmente dizer que o nazismo de Hitler é de esquerda ou de direita, ele é outra coisa.