A filosofia é o amor ao saber. Mas o que sabemos sobre o amor? Desde a antiguidade, o amor é o lugar do não-saber, do enigma do desejo, do mistério da paixão. Do amor não se sabe, mas se vive. Experimenta-se, sofre, deleita, goza. A existência humana é uma questão de amor. A pergunta, contudo, não é só quem amamos, mas o quê. Pode a dor da vida ser curada pelo amor? Se soubéssemos a resposta, o como, o que fazer, todos nós estaríamos correndo atrás disso. E estamos. Amamos o saber, a ciência, a filosofia. Não sabemos amar. Em geral, todas as respostas estão no inconsciente: aquilo que não sabemos que sabemos. Menos o amor. O amor tem um lugar furado no inconsciente. Amam aqueles que sabem que não-sabem.

A poética do corpo
É o erotismo
Tensão da matéria
Dos toques e limites
E transitividades
Zonas de passagem
A tênue possibilidade do desejo habitar outro corpo

Se minha vida inteira é apenas um sonho que com a morte despertarei, quem é este que me sonha? Quem é o dono de mim?

Quando minha alma despertar, minha existência se extinguirá. Deixarei de ser eu para tornar-me algo menos que memórias. Serão lembranças de uma vida sonhada, de amores incompletos e verdades relativas.

Quem é você que me sonha? Chamo-lhe Deus por não ter outras palavras. Sonhador, minha vida você a tem. Que seja então bondoso com minhas recordações, e seja justo sobre meus atos. Se fracassei, sou o seu fracasso. Se triunfei, nada mais fui que o seu destino.

Quando o sonho acabar, não serei nada, mas será sempre você o sonhador.

Essa noite eu sonhei com um jardim. Era um jardim igual ao de minha casa. Como poderia haver um jardim tão parecido ao meu? Neste jardim, contudo, as flores não morriam nem ressurgiam com as estações. Era sempre primavera. No jardim da primavera eterna não existia nascimento nem morte. As…

Ano novo
E o que ficou para trás?
Amanhã serei diferente
Serei o mesmo outra vez
Quando eu voltar a ser eu mesmo
Tornarei-me desconhecido para vocês
Por isso esqueçam
O que lembramos do passado é sempre pouco
Tudo se esquece
Só não se esquece o que se perde
E o que perdi foram os meus anos
Sacrifiquei cada um deles
Em troca de mim
Porque a vida se ganha ao perdê-la
Já não tenho mais o ano que passou
Valeu a pena trocar o tempo por memória?
Essa noite eu sonhei que despertei
Era ano novo outra vez

Conta uma antiga lenda chinesa que, muito tempo atrás, antes dos humanos existirem, havia somente plantas e animais no mundo. No fundo de um lago viviam algumas carpas absortas em suas vidas cotidianas, alheias a tudo mais que existia no mundo.

Atraída pelas sombras na água, uma das carpas chegou…

- Então é magia isso que você faz?
- Depende.
- Assemelha-se muito ao que faço. Nós dois trabalhamos com símbolos. Ainda que nossos símbolos sejam diferentes.
- Você opera por imagens, eu por palavras.
- E o que são palavras?
- Sons, letras.
- Quando eu digo um encantamento, isto são palavras. Quando você escreve…

No refúgio da imaginação
Encontro princesas e dragões
Grandes sagas, aventuras
Que mais posso precisar?

O mundo da imaginação não é um paraíso
É uma terra a ser conquistada
Com perigos e desafios
Monstros e tormentas

Imaginar é escapar dos medos da realidade?
Não, imaginar não é fugir
É enfrentar os verdadeiros perigos da vida
Os monstros da realidade interna

Quando sonho não perco a realidade
Na fantasia está o mundo real, o mundo vivido
O mundo sonhado
Meu destino é inventado

Viver é impossível
Mais impossível ainda é ignorar a vida
Não sei para onde vou
Ou mesmo quem sou
Tenho apenas uma certeza:
Tudo que tenho é esta vida
Devo sê-la até onde quer que seja

Igor Teo

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store