ÁLCOOL

em homenagem à Li Po

Se a vida não possui sentido algum
& colecionamos memórias editáveis
para que tanta bagunça nos campos de centeio
de nossas mentes?

Nos atormentamos com tão pouco!

Ah, ilusões
tragédias
coros de sangue
retinindo nas vidraças
como tempestades
que vêm & vão

Navego
nas garrafas de cachaça
no tal barco embriagado
rumo ao deleite & ao esquecimento

Foi o que fiz ontem
& anteontem
(& o que tenho feito durante
anos a fio,
sem querem mesmo saber)

Ao acordar
com os ruídos da maquinaria deste século
perguntei aos andróides
em que estação estávamos
& os anúncios do Youtube
me disseram:
“Faça já sua inscrição para receber o cartão NuBank”

“Problemas com disfunção erétil? Aumente o poder de sua ereção…”

Eu quase fiquei embevecido pela balela utópica
 de tamanha sabedoria
 & recomecei a beber
 já que não me incomodaria com as transições de amanhã

Uivei até que a lua desse seus galopes
 & de novo perdi a noção de todas as coisas.