L’AMOUR EST UN OISEAUX REBELLE

Tendo o peito constantemente saqueado por estrelas & canções, a pele se torna campo de provas, batalha dos sentidos. Constantemente perdido & desolado, sigo em passos trôpegos entre nenúfares esmaecidos. Reconheço no ronco das árvores o soluço talhado do Sol esquecido.

E a noite me risca as costas com unhas de nitroglicerina & me morde com dentes de cavalo. E saltam, entre as frestas dos ossos, memórias estranhas, palavras de encantamento. O Amor corre nu pelo meu corpo tal qual arrepio.

Tudo mudou desde o sangramento do último suspiro. A alma se entende como um arco atirando longe meus pensamentos.

Minha boca, pescada pela tua, sussurra orações mágicas & dança no veludo elétrico da tua saliva. Não quero ser salvo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.