Raio-X das candidaturas a deputado estadual no Ceará

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contabiliza 590 candidaturas a deputado estadual no Ceará. Até o dia 27 de Agosto de 2018, 21 foram deferidas, 3 renunciaram e 566 aguardam julgamento. A análise abaixo foi realizada com as 590 candidaturas originais. Todos os dados são do TSE (acessado em 23/08/2018).

As eleições de 2014 contaram com 638 candidaturas à Assembleia Legislativa (AL) do Ceará. Todavia, alguns partidos não existem mais. O então Partido Ecológico Nacional (PEN) foi renomeado para Patriota, o Partido Trabalhista Nacional (PTN) virou Podemos, o Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB) agora atende por Avante, o Partido Social Democrata Cristão (PSDC) virou Democracia Cristã (DC) e o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) agora é Movimento Democrático Brasileiro (MDB). No gráfico abaixo colocamos como o partido era conhecido em 2014 seguido da nova designação. Segue a disposição dos partidos com mais candidatos.

Em 2014, 31 partidos apresentaram candidatos. Todos estão presentes 2018, menos o Partido Comunista Brasileiro (PCB), que em 2014 teve 2 candidatos e não concorre em 2018. Por outro lado, Rede Sustentabilidade (Rede) e Partido da Causa Operária (PCO), que não concorreram em 2014, apresentam candidatos este ano. Proporcionalmente, 4 partidos cresceram mais de 100%: PSL, PROS, PMN e PSB. Já o PSC teve uma queda brusca no número de candidatos. Atualmente há 35 partidos registrados no TSE.

No Ceará, todas as coligações cumprem a cota de 30% de candidaturas femininas, diferentemente de outros estados. Olhando individualmente por partido, nenhum tem mais candidatas do que candidatos, mas DEM, PR, PRB e PSC apresentam o mesmo número de candidatos de ambos os sexos. Por outro lado, PCO, PHS e PRP só possuem candidatos homens. Fica evidente a baixa representatividade das mulheres nessa eleição, uma vez que 51% dos cearenses são mulheres, de acordo com uma projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística para a população cearense em 2018.

Segundo classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pardos e pretos são considerados como negros em conjunto. Dessa forma, 58,64% dos candidatos em 2018 são negros, enquanto em 2014 correspondiam a menos da metade das candidaturas. Mesmo com esse crescimento, as proporções continuam não refletindo a realidade do estado, já que 71,10% dos cearenses se autodeclararam negros. Os dados são de 2015 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (pdf).

No gráfico abaixo a idade usada é a que o candidato terá na data da posse. Dessa forma, 3 candidatos dividem o título de mais jovem, com 21anos: André Fernandes (PSL), Andreia Moura (PLS) e Nêgo da Água (PTC). Na outra ponta, Professor Demétrio (PPS) é o mais velho, com 78 anos de idade.

No gráfico sobre o estado civil dos candidatos juntamos as categorias “Divorciado(a)” e “Separado(a) Judicialmente” em uma só.

92% dos candidatos autodeclararam que nasceram no estado do Ceará. O gráfico abaixo mostra de onde são os outros 8%.

Em 2018, as cinco ocupações mais autodeclaradas são basicamente as mesmas de 2014, com uma diferença: sai “Administrador”, entra “Deputado”.

Olhando com mais atenção, todavia, o quadro muda. Se colocarmos servidores públicos municipais, estaduais e federais (ativos e aposentados) como apenas um grupo, essa categoria lidera o número de candidaturas. Da mesma forma, se colocarmos deputados e vereadores como uma categoria chamada políticos, a participação é bem mais relevante. Curiosidade: embora não apareça entre as ocupações mais frequentes, o número de candidatos que são policiais militares, civis, militares da ativa e aposentados e bombeiros cresceu bastante: de 2,66% em 2014 para 4,07% em 2018.

373 candidatos (63% do total) declaram possuir bens e somam juntos R$ 223.870.822,99. Dos 373, 46 candidatos são milionários (8% do total).

217 candidatos (37% do total), de 27 diferentes partidos, declaram não possuir nenhum bem.

Os gráficos foram criados com os dados recolhidos no TSE no dia 23 de agosto de 2018. Como os partidos podem realizar alterações até 17 de setembro, é possível que alguns gráficos fiquem defasados. De toda forma, o panorama apresentado aqui não deve sofrer grandes alterações.

Matérias sobre o panorama nacional das eleições 2018:

O perfil dos candidatos a deputado estadual e federal de 2018 (Nexo Jornal);

38% dos candidatos declaram patrimônio zero nas eleições deste ano; 10% são milionários (G1);

Percentual de candidatos negros cresce, mas segue abaixo da proporção da população (G1);

Candidatos empresários e advogados crescem nas eleições 2018; número de servidores públicos, vereadores e donas de casa cai (G1);

Uma em cada seis coligações partidárias não cumpre cota feminina (O Globo);

Efeito Lava Jato leva 55 nomes ligados à PF a disputar eleições (Folha)