Hackatons como produção de conteúdo? Dá pra fazer — Crédito da foto: Alex Kotliarskyi tirada do Unsplash

Qual é a primeira coisa que você imagina quando alguém fala sobre marketing de conteúdo? Um post para blog? E-books? Vídeos e fotos para as redes sociais? Para muitos essas são as principais opções que pipocam na mente. No entanto, já faz alguns anos que outro tipo de conteúdo vem sendo utilizado para gerar leads e melhorar a percepção do público com respeito a marca: os eventos.

Veja só: se pegarmos a definição de marketing de conteúdo do Content Marketing Institute, veremos que eles consideram esse tipo de estratégia como:

uma abordagem de marketing focada na criação e distribuição de…


Os ambientes compartilhados estão na moda no Brasil … e não é por menos

Em 1974, o autor inglês Arthur C. Clarke — responsável pelo clássico 2001 — Uma Odisseia no Espaço — deu uma entrevista para a ABC onde falava um pouco sobre como imaginava que seria o futuro no próximo século.

Para ele, não levaria muito tempo para que os computadores (que até aquele momento eram máquinas gigantescas e pesadíssimas) se tornassem mais populares, mais leves e fossem capazes de fazer com que qualquer um pudesse trabalhar onde bem entendesse.

Como uma espécie de Nostradamus high-tech, Arthur acertou em cheio e menos de 30 anos após a sua previsão já era possível…


Mark Zuckerberg e o famoso quem quer rir, tem que fazer rir ( Reuters/Stephen Lam)

No final de outubro do ano passado, o Facebook realizou alguns testes para diminuir a difusão de fakenews dentro da rede social ao mesmo tempo aumentar o engajamento dos usuários nas postagens de familiares e amigos.

Na época o experimento foi feito em um número reduzido de pequenos países, como Guatemala, Bolívia, Eslováquia e Sri Lanka, que de cara perceberam uma queda na audiência de seus principais jornais online.

Agora, 3 meses depois, Mark Zuckerberg veio a público para dizer que os resultados foram positivos para a empresa e que de hoje em diante esta será a distribuição de conteúdo…


Seu conteúdo não deveria estar em um mercadão

Em 2015, o jornalista Tony Schwartz produziu um artigo para o The New York Times onde falava sobre seu incômodo em não conseguir mais terminar um livro com a mesma velocidade de antes. Algo parecido com o que foi dito também um ano mais tarde por Wagner Brenner, do Update or Die, no post Socorro, não consigo mais ler livros.

Em ambos os casos os autores comentaram a respeito da overdose de notificações que hoje nós temos por causa de aplicativos e redes sociais e como tudo isso pode estar afetando a nossa atenção e o nosso foco.

Isso é…


Foto de Štefan Štefančík via Unsplash

229 bilhões de dólares: esse foi o total de verba investida em publicidade digital ao longo de 2017. Um montante tão impressionante, que fez com que o gasto com anúncios on-line ultrapassasse de vez aquele com anúncios tradicionais.

E com tanta empresa investindo grana na internet, nada melhor do que ficar de olho naquilo que pode trazer ainda mais resultados na web no ano de 2018. Afinal, ninguém quer ficar atrás da concorrência, certo?

Por isso separamos 5 tendências digitais — que já podem ser observadas por aí — para você acompanhar e até investir neste novo ano.

Confira!

1 — O colapso da busca por grandes influenciadores


No começo do século passado, se você entrasse em algum tipo de vendinha, com certeza não daria de cara com dezenas de marcas diferentes de sabão em pó ou de ovos gourmet como acontece hoje.

Era tudo muito simples: sabão em pó era sabão em pó e ovo era ovo. Pronto.

No entanto, com a entrada de um número cada vez maior de produtores no mercado ali no fim da segunda guerra mundial, criou-se a necessidade das empresas se distinguirem nas prateleiras e de fazerem valer o seu diferencial.

Assim nasceram os conceitos modernos de marca e de publicidade.

Agora…


Crédito da foto: Burst via Pexels

Tem gente que chama ele de conversa gravada em boteco. Tem quem diz que isso é tipo um programa de rádio, só que “toca” na internet. Já outros vão para o lado mais técnico e dizem que sem um feed não existe esse negócio.

Bem, o lance é que ano após ano mais gente se apaixona pelo tal do podcast, mesmo sem saber ao certo o que é isso. …


No começo do ano, a jornalista Elizabeth Kolbert publicou um artigo na New Yorker com o título de “Why Facts Don’t Change Our Minds”, um texto que em português quer dizer “Por quê os fatos não mudam as nossas mentes”. Nele, Kolbert apresentava várias pesquisas que apontavam como que as nossas decisões tomadas (supostamente) pela razão são bem mais emocionais e bem menos intelectuais do que pensamos.

E de quem é a culpa dessa bagunça toda? Do nosso viés de confirmação. …


Algum tempo atrás, uma cliente aqui da I Love Pixel pediu que a ajudássemos a lançar um novo aplicativo no mercado — que por motivos óbvios, não vamos dizer qual seria. E era um app até interessante, só que tinha um pequeno problema: tudo que ele fazia, poderia ser feito bem melhor, mais rápido e mais barato em um site.

Contamos isso para a cliente e ainda completamos com outro detalhe: com um site seria possível testar a aceitação do seu público e até alguns detalhes do seu negócio sem precisar gastar outra dezena de milhares de reais com o…


Você procura pela solução de um problema na internet, o Google te indica um site e quando você acessa a página é preciso baixar um e-book para descobrir se de fato existe ou não uma resposta ali dentro para a sua dor de cabeça.

Todo mundo já deve ter encarado uma situação como essa pelo menos uma vez na vida (e até aprendido a desviar dos banners de captura de leads como se fossem balas), não é mesmo? E daí vem a pergunta: será que a oferta de e-books gratuitos pode realmente trazer resultados para o seu negócio?

Pois a…

I Love Pixel

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store