Você pode, por favor, abrir a porta?

Ou quem sabe deixar uma das janelas abertas? É que eu não consigo viver em meio a essa bagunça que você deixou. Eu nunca havia abri a porta pra ninguém, porque não conseguia conviver com a bagunça que é aqui dentro, mas depois que você chegou… Eu acreditei que conseguiria organizar… Separei algumas caixas com memórias e as guardei na mais alta prateleira. Afinal você disse que eu não precisaria mais delas e que iríamos construir juntos novas memórias. Mas sem querer guardei parte de mim nessas caixas, afinal as memórias fazem parte de mim. Então você começou a remexer nas caixas escondidas e tirou de dentro delas traumas e tristezas. E toda a bagunça voltou. Agora tenho que lidar com essa confusão aqui dentro do meu coração. Às vezes eu penso que você não queria entrar e me ajudar com a bagunça, você só precisava de um lugar para ficar sem se importar. 
Mas então, por favor, você pode abrir a porta? Depois que você se foi e me trancou aqui… Bem… Eu… Percebi o porquê você quis ir embora. Nem eu quero ficar aqui. Então por favor, me ajude a sair.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Bels’s story.