Transbordar ausências não é sobre ser solitária.

Transbordar ausência é transbordar quem eu fui pra conseguir ser quem eu tenho construído pra isso.

Transbordar ausências é acima de tudo deixar pra trás aquilo que me fizeram ser para ser exatamente quem eu sou.

Ausência de passado oprimindo meu futuro é transbordar o presente que por mim foi construído.

Transbordar ausência na minha vida não é algo ruim,

É desconstrução, destruição e construção (tudo junto misturado) para continuar transbordando aquilo que quero ser, incoisificável.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.