A História de uma Ruiva Contemporânea

POR TRÁS DOS BASTIDORES | A u d r e y N i f f e n e gg u e r

| Não me lembro exatamente em qual ano comprei o livro “The time traveler’s wife” da autora Audrey Niffeneguer, mas lembro do por que me interessei tanto pelo livro e como acabei levando-o para casa. Lembro que comprei pois a priori apreciei muito a capa, com a árvore meio caída sendo levada pelo vento e o sorriso cativante da mulher em primeiro plano, mostrando a sua alegria por alguma razão aparente. Se olhar mais de perto dá até pra ter uma certa sensação de imagem de uma daquelas fotos únicas, tiradas em um entardecer de domingo sabe? Por um homem atrás da lente, rindo junto com ela.

“O tempo do relógio é nosso gerente de banco, fiscal de impostos, inspetor de polícia; esse tempo interno é nossa mulher” — J.B. Priestley, Man and Time

○○○

E fica aqui o meu aplauso de pé a editora Suma das Letras que disponibilizou essa capa, que por fim, me fez comprar a literatura. Não, não é merchandising, é somente um elogio cabível a Editora, para que faça mais capas como essa. Agradecida.

or fim, comprei o livro e voltei para casa ansiosa pra saber do que tratava, e ao ler as primeiras páginas já me identifiquei logo de cara. A forma de leitura que Audrey disponibiliza é realmente impecável e posso dizer que sem dúvidas é uma das minhas leituras favoritas. Quando terminei de ler, procurei na folha do próprio livro a biografia da autora e me impressionei ainda mais quando vi, que a escrita é um de seus muitos hobbies, Niffengguer tambem é artista plástica e publica o seu trabalho no próprio site www.audreyniffenegger.com

E o mais interessante é que, ela usa do seu trabalho para dar forma e vida aos seus personagens (assim como Claire Abshire que é artista plástica no livro, profissão tambem de Audrey) ela cria uma atmosfera única e com artes impressionantes e originais. A página disponibiliza além do trabalho, sessões de bookwords e Media, com vídeos da própria autora. Dentro da literatura, ela já possui publicados outros seis livros tais como, “Awake in the dream world: The art of audrey Niffenegguer “Raven Girl” e “Hear Fearful “Symmetry”.

O que mais me deixa fascinada com a modernidade é o fato de que esses autores (artísticos, literários) ao contrário dos outros de épocas passadas têm uma liberdade em produzir conteúdos que o público tem a facilidade para o acesso rápido e contínuo. Ou seja, inspiração está aí, e é o que não falta hoje em dia. Para aqueles que possuem uma veia artística, vale a pena conferir o trabalho magnífico de Audrey Niffenegger, deixo a dica e o link.

Para os que como eu sentem certa atração por livros novos, a lista são sete produções, e diga-se de passagem, muito bem escritas.