Como a remuneração influencia o conceito CAPES de um programa de pós-graduação?

Perguntas

No Brasil, programas de pós graduação são classificados em sete níveis pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Essa classificação é feita de acordo com a produção científica do corpo docente e discente, a estrutura curricular do curso, a infraestrutura de pesquisa da instituição, dentre outros fatores.

Levando isso em consideração, o que influencia o conceito CAPES de um programa de pós-graduação? O senso comum nos diz que o investimento e o conceito de excelência devem caminhar juntos, mas será essa uma realidade? Em relação à remuneração dos docentes de um programa, será que uma maior remuneração caminharia junto, consequentemente, com uma maior qualificação?

Com a ajuda do Portal da Transparência do Governo Federal, é possível verificar os rendimentos de todos os servidores públicos do país, incluindo os professores universitários. Unindo esse conhecimento aos dados de qualificação e produção das pós-graduações e os conhecimentos de Data Science da Indeorum, buscaremos responder as perguntas:

1) Investimento está ligado a qualificação do programa?
2) A mediana de remuneração docente está vinculada à qualificação do programa?
3) O tamanho do quadro de docentes de um programa está ligado à sua qualificação?

Conceito x Investimento Mensal

Nosso primeiro passo foi verificar o valor mensal investido em salários para cada programa. Como pode ser visualizado no gráfico, houve discrepância nos valores analisados, sendo possível notar uma grande variação, especialmente, em programas com conceitos 4 e 5.

Investimento Mensal em Salários de Cada Programa (em milhões de reais)

Com este resultado, fomos investigar mais a fundo: Qual a mediana de investimentos de um programa conceituado pela CAPES? Esse valor cresce conforme o índice de qualidade?

O senso comum nos dita que programas que, em teoria, são mais qualificados possuem uma mediana de investimentos maior. Entretanto, encontramos uma surpresa.

A mediana investida segue o esperado, crescendo gradualmente até os programas de nível 6. No entanto, ao chegarmos em programas de nível 7, nos deparamos com algo inesperado: programas do mais alto nível de qualificação CAPES possuem uma mediana de investimento mensal menor do que programas de nível 5 e 6.

Análise da mediana de investimento mensal, mostra conceito 7 com menos investimento

É importante ressaltar que foi escolhida a mediana de investimentos em vez das médias. Isso ocorreu porque a mediana apresenta um melhor panorama como um todo, uma vez que a média de valores pode ser fortemente influenciada por uma relação numérica relativamente mais alta ou mais baixa.

Para fazer uma análise mais detalhada, também obtivemos o desvio padrão do total investido em cada conceito, buscando visualizar se existia um padrão de investimento para alcançar a qualificação ideal. Deve-se lembrar, no entanto, que quanto mais alto for o desvio, maior será a diferença de investimentos entre programas do conceito analisado.

Com esta pesquisa, observamos que dos cinco conceitos observados, o desvio aumenta sempre de maneira crescente. O que merece destaque, portanto, é o grande aumento no conceito 5, apresentando este a maior discrepância de valores (é maior que os valores dos conceitos 6 e 7, inclusive). Tais dados demonstram uma inconsistência nos investimentos dos conceitos 4 e 5, além de uma consistência considerável nos conceitos mais altos.

Desvio Padrão mostra alta inconsistência no investimento mensal salarial de conceito 5

Conceito x Média Salarial Docente

Fomos buscar outros fatores que pudessem influenciar a qualidade de uma pós-graduação. Será que a média salarial dos docentes de uma pós-graduação está ligada à sua qualificação CAPES?

Diante disso, agrupamos os docentes por conceito de sua pós-graduação e analisamos sua mediana salarial.

O resultado, foi surpreendente: a mediana salarial mostrou-se relativamente uniforme sem ocorrer grandes acréscimos conforme o aumento no conceito averiguado. Também ficou evidente um número discrepante na mediana salarial de programas de conceito 2.

Assim, podemos verificar que não há uma relação direta entre a média salarial docente e o conceito de um programa.

Mediana Salarial de docentes é surpreendentemente uniforme entre todos os conceitos

Conceito x Número de Docentes

Outro fator importante em pós-graduações é a quantidade de docentes ligados a uma pós-graduação. Será que este número cresce conforme a qualificação da mesma?

Como pode ser observado no gráfico abaixo, os resultados indicaram, de maneira consistente, que quanto maior o conceito do programa, mais elevado será o número de docentes que trabalham nele.

Análise demosntra que número de professores cresce de acordo com o conceito do programa

Entretanto, podemos nos questionar se há uma consistência no número de docentes em relação ao conceito ou, ainda, se existe um “número mágico” de docentes para cada conceito. Com esses questionamentos em mente, fomos verificar!

E, novamente, nos surpreendemos!

É facilmente verificável abaixo, a crescente no número de docentes ligados a programas de pós-graduação do nível inicial até o nível 5. Entretanto, este padrão não é seguido nos últimos dois conceitos! Em contraste com a surpreendente inconsistência apresentada pelos programas de conceitos 4 e 5, respectivamente, programas de conceito 6 e 7 apresentaram uma consistência ainda maior que os conceitos anteriores.

Uma análise detalhada nos leva a questionar a incosistência entre o número de professores ligados a programas de nível 4 e 5

Conclusão

Finalmente, voltamos à pergunta inicial: que fatores estão diretamente ligados ao índice de qualidade CAPES?

Podemos verificar que o investimento nem sempre está ligado à qualidade. Conforme foi constatado na mediana de investimentos para os programas com conceito de excelência 7, ela é considerada mais baixa, inclusive, menor do que os valores encontrados nos programas de qualificação 5 e 6..

E quanto à média salarial docente, ela pode ser considerada proporcional à sua qualificação?

Também não, como foi possível visualizar nos gráficos, a mediana salarial mostrou-se relativamente uniforme com poucas mudanças entre os conceitos.

Mas, então, o que influencia a qualificação?

De certa forma, o número de docentes é o único fator que demonstrou ser ligado à qualificação de um programa de pós-graduação. Porém, apesar de ser possível verificar o aumento gradativo no número de docentes conforme o conceito do programa, a inconsistência demonstrada nestes dados, especialmente a encontrada em conceitos intermediários, possibilita o questionamento se essa influência é tão direta assim.

Gostou? 
Semana que vem tem mais, dessa vez utilizando dados das publicações dos programas!

www.indeorum.com

Autores: André Alba, Felipe Luzzardi e Nícolas de Araujo