Texto 13 (versão 2) — ou quando te contei meus segredos

[Foto: magdeleine]

Eu não seria minha amiga

se não vivesse em mim.

E acho que não andaria comigo

se não fosse meu reflexo no espelho.

Quase sempre malcriada,

carrego todos os sinônimos de insolente

e “ciumenta” é meu nome de solteira.

Eu não sou uma boa pessoa

e nem tento ser.

Só durmo bem em anos bissextos,

tenho traços de depressão

que rebato com ansiedade.

Sou a espada de Ogum.

Sou o deus egípcio do Caos e da Guerra.

Sou a reencarnação de Ares.

Meu temperamento é único

e meu tempero, forte.

Sou por essência um ser humano horrível.