âmago

queria desfazer os nós que ficaram 
e cantar as palavras que estão entaladas na minha garganta
mas ao invés disso
eu vou escrever pra dizer que eu queria refazer nosso laço

e mesmo se não houver espaço pra mim na sua vida 
eu vou continuar te acompanhando onde você estiver 
torcendo pra que você esteja bem.

eu sei que não foi nada fácil pra mim
e imagino que também não tenha sido pra você.

por muitos momentos me vi nublada
me perdi de mim quando você me atravessou
e deixou somente o rastro do seu corpo com todos os seus traços.

mas você me ensinou milhões de coisas. sobre mim. sobre o mundo. 
e tudo que eu não entendia, hoje eu entendo bem. 
partilhamos tanto sem perceber que suas digitais ficaram impressas nas paredes da minha alma.
também sei que a tinta apagou os escritos que eu deixei na parede do seu antigo apartamento.

o adeus que a gente nunca disse foi minha maior tormenta. 
em cada lugar que eu ia, eu te via mesmo sabendo que não era você
e os sentimentos pareciam estar impregnados em mim
e nada me curava
e nada me fazia esquecer
porque seus abraços deixaram marcas no meu corpo
dessas que o tempo nunca vai levar
e muitas vezes eu tentei te fragmentar
pra caber em mim a dor de aceitar o fim que nunca veio.

mas hoje eu consigo sorrir ao lembrar
e mesmo no eterno brilho de uma mente sem lembranças
eu escolheria nunca te apagar.

agora eu te escrevo pra dizer que já não dói, 
mas a saudade sempre vem me visitar
às vezes eu faço o convite
às vezes ela vem sem avisar

Like what you read? Give Indra Aquino a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.