Incontáveis doses; beijos; sorrisos; palavras; silêncios; gritos.

Sentimentos causados nos outros, de origem completamente desconhecida, bons ou ruins, cuja unica resposta que recebem em troca é “me desculpa.”.

A falta de reciprocidade, de presente, de esperança.

A falta de controle.

No meio dessa infinidade inútil que preenche os dias úteis, há raros abraços que têm efeito analgésico e antidepressivo.

Mas, ainda assim, a consciência do peso morto carregado no estômago, no peito, no cérebro e nos ossos acaba voltando.

A saída é manter dentro esse nada sem fim e continuar existindo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.