Não tem biscoito, xô xô xô

Nas últimas duas semanas, a Globo se colocou mais de uma vez na posição do macho escrachado publicamente que tenta se redimir: com atitudes pensadas e articuladas para abafar o caso e tentar comover com seu novo posicionamento correto e arrependido que reflete a nova lição recém aprendida. PAREM DE DAR BISCOITO PRA ISSO!

imagem reprodução

E ontem, algumas horas depois de publicar o texto anterior, no caminho da faculdade para casa meu celular vibrou incessantemente e, aparentemente, todas as pessoas estavam comentando sobre a expulsão do Marcos no BBB17. Não pude deixar de acompanhar a repercussão, assim como não pude deixar de me decepcionar com o quanto nos contentamos com pouco.

Assim como vem acontecendo nos últimos tempos, a Rede Globo cedeu às pressões do público e expulsou o Marcos do "reality show", levando em conta que, no fim de semana, ele foi flagrado em vídeos nos quais gritava, pressionava e agredia fisicamente a Emily, comportamento configurado como violência psicológica e física contra a mulher. — o problema aqui é que isso aconteceu durante todo o programa e não só nos vídeos do último fim de semana.

O anúncio foi feito na noite de ontem por Tiago Leifert depois de uma perícia da Delegacia da Mulher confirmar as agressões em Emilly. De acordo com a legislação penal brasileira, a constatação pode ser feita mesmo sem a necessidade de uma denúncia feita pela vítima. Investigadores foram até os estúdios da Globo para verificar a situação e interrogar o Marcos durante o dia depois de abrir procedimento independente de investigação. — ou seja, a emissora não fez mais do que o mínimo que deveria fazer nessa situação.

“Na conversa de hoje, ficaram comprovados os indícios de agressão física. No BBB, agressão gera expulsão. A decisão está tomada: o Marcos está eliminado do BBB17”, comunicou Tiago Leifert durante a abertura do programa na noite de ontem. — o mínimo, depois de classificar as agressões do Marcos como "briga de casal" nos episódios anteriores.

Logo depois do comunicado, Emily imediatamente entrou em desespero. Chorava muito e tudo o que conseguia dizer eram frases como “Eu não queria que isso tivesse acontecido”…"Isso não tá acontecendo, eu não acredito nisso" e Leifert fez questão de deixar claro para ela que a culpa não era sua de maneira alguma e ele realmente não merece um parabéns por isso. — de novo, é o mínimo. Mas não é só isso. Agora, é necessário um acompanhamento, será que vai ter? Vamos cobrar ou vamos deixar por isso mesmo já que agora o Marcos já foi eliminado?

O que a Emily sofreu no programa foi violência contra a mulher, sim. Em todos os seus pontos. Foi e continua sendo chocante ver essa situação toda acontecendo e a vítima tentar encontrar uma justificativa, se culpar e, pior ainda, se desculpar. A culpa não é da Emily. Isso não aconteceu porque você acha que ela é irritante, isso não aconteceu porque o Marcos acha que a outra participante é melhor que ela, isso não aconteceu porque o problema é com a Emily. O problema não é a Emily. O problema não é a vítima. Não é falta de caráter ela não ter saído da relação, não é falta de "vergonha na cara" uma mulher estar numa relação abusiva porque nenhuma mulher merece, nenhuma mulher ocupa esse espaço por querer ou aceitar.

Mas, então, voltando à noite de ontem e aos murmurinhos no Twitter… além de ver a tag "Força Marcos", também vi "Essa Emily" e, ainda, vi a maior parte dos meus amigos fazendo alguns dos comentários mais bizarros e decepcionantes dos últimos tempos enquanto outra parte deles parecia feliz com a expulsão e parabenizavam a atitude da Globo????

"Ele já foi expulso, tem que dar os devidos agradecimentos à Globo, afinal ela tomou as medidas corretas" — tomou as medidas corretas porque foi pressionada, tomou as medidas corretas porque o problema que isso podia trazer talvez não tivesse volta caso fechassem os olhos. Não precisa parabenizar a Globo. Mas também não precisa deixar por isso mesmo.

"Agora vocês vão ficar falando sobre isso e dando cada vez mais audiência pra Globo e vão criar mais fenômenos como o #Bolsonaro18, por exemplo" — bem, provavelmente grande parte das pessoas que comentou sobre o BBB nem assistiu ao programa, assim como eu.

Mas acredito que não dá para simplesmente usarmos "Globo" como essa grande entidade que temos tratado nos últimos tempos. A emissora tem sua organização e para que alguma mudança aconteça de fato é importante que ela se sinta pressionada e a cada pressão, vai ter que ceder e a cada cedimento, vai romper uma estrutura conservadora até o dia que não vai dar mais para se rearticular o tempo todo.

Ainda assim, vivendo na sociedade do espetáculo — sendo mulher — não vamos mudar tudo de uma vez, mas vamos abrir um grande espaço para discussão e cada vez mais pressões sociais como a de ontem. É hora de saber usar esses espaços a nosso favor para questionar e não para dar biscoito para quem não merece. Amanhã a novela que explora, objetifica, sexualiza e escraviza a mulher tá de volta nesse mesmo horário e nesse mesmo canal. Não acaba aqui.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ingrid Mônaco’s story.