Assessoria de Imprensa: Relações Públicas x Jornalismo


Você sabe o que faz um assessor de imprensa?

O assessor de imprensa, é aquele que coordena a relação com a mídia, ou seja, ele quem vai gerir o relacionamento de uma entidade, empresa, órgão ou figura pública. Sendo assim, o assessor quem dirige a fonte para a melhor e cabível posição perante a imprensa, sendo ele o filtro para o que deve ou não ser informado de acordo com a necessidade do assessorado e o interesse da mídia. Hoje, a assessoria de imprensa não se restringe somente às mídias tradicionais, como TV, rádio, etc, ela tem se expandido também para as plataformas digitais, e cabe a nós futuros e profissionais de comunicação, se adaptar a essa nova forma de comunicar

Assessoria de imprensa, o início:

Com a insatisfação de trabalhadores pelo desenvolvimento de grandes monopólios, fez com que os mesmos retratassem o aborrecimento nos jornais da época. Não satisfeitos com a reputação de suas empresas, logo, houve o surgimento da comunicação empresarial, que foi quando o empresário Rockefeller contratou o até então jornalista, Ivy Lee que deixou a carreira para exercer as atividades de Relações Públicas, em 1906.

Nos EUA, Ivy Lee passou a ser então o responsável por viabilizar à imprensa, notícias relativas às empresas, mostrando aos empresários que a reputação de suas empresas estavam nas mão de seus públicos, surgindo a necessidade de informá-los, cancelando então toda ideia contrária de Wander Wil expressa em sua frase “O público que se dane”.

No Brasil, a assessoria de imprensa foi ganhando forma no âmbito do governo, e Getúlio Vargas (1930-1945), foi um dos primeiros que se apoderou desta atividade. Em seu mandato, criou o DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda), da qual controlava todo tipo de conteúdo que era transmitido para a sociedade, de forma que promovesse a imagem do governante na época.

Assessoria de Imprensa, RP x JOR:

Ao contrário do que muitos pensam, assessoria de imprensa não é uma profissão, e sim, uma função que é exercida tanto pelo RP (EUA e Europa, em sua maioria) quanto pelo Jornalista (essencialmente no Brasil). Com certeza, este assunto ainda é pauta de discussões, gerando até preconceito, pois para a grande maioria dos teóricos, a assessoria de imprensa deve ser dirigida pelos jornalistas por entenderem os interesses da imprensa, desenvolvendo um bom relacionamento com a mesma, e ainda por dominarem mecanismos relativos à construção das notícias, mesmo que institucionais. No entanto, independente da profissão, ambos devem dominar a escrita, quanto o bom relacionamento com a mídia.

“Planejamento estratégico”, estudo “macro dos públicos” e área corporativa, é ressaltado na graduação de Relações Públicas. Consequentemente o que é de caráter institucional, cabe às Relações Públicas, pois a mesma usará como ferramenta de comunicação e gestão de relacionamento para manter uma boa reputação, e para fortalecer a imagem da entidade, empresa, órgão ou figura pública através da imprensa para seus públicos.
Ao Jornalista, por ter uma graduação mais voltada para produção de conteúdos noticiosos, é cabível a apuração dos fatos que vão para evidenciar o que é de interesse público, e apesar da discussão, ainda não existe nada que restrinja o RP ou o jornalista de exercer a função. Portanto que venhamos exercer essa função com sabedoria, não desmerecendo nenhuma das profissões, deixando os preconceitos de lado, buscando sempre aprender mais, melhorar, evoluir e desenvolver com suntuosidade aquilo que estiver em nossas mãos.


Por: Ellen Marques
 @ellenmarks_ds

facebook.com/ellenmarksds

Like what you read? Give InovaRP a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.