12 passeios para você fazer em Santa Rita do Sapucaí e região

Se você chegou até Santa Rita do Sapucaí, MG, certamente foi por algo relacionado ao polo tecnológico do Vale da Eletrônica, ou para algum evento de inovação e empreendedorismo dos inúmeros que ocorrem na cidade, ou para algum festival de música como o Bloco do Urso, Vale Music ou Showrrasco. Portanto, o objetivo deste artigo é te ajudar a aproveitar melhor a sua viagem fazendo alguns passeios que vão além de tudo isso. E quem sabe até vir a Santa Rita apenas para explorar alguns lados menos conhecidos. Mas antes, é essencial conhecer as opções, certo?

Nas próximas linhas, vamos apresentar um pouco do que Santa Rita e região tem a oferecer em relação à natureza, à gastronomia, e muito mais. Tem muita coisa incrível! :) Vamos lá!

01. Região do Balaio

É uma das regiões rurais mais bonitas e interessantes de Santa Rita do Sapucaí. Vale a pena percorrer a estrada, que passa, primeiro, pela Cruz das Caveiras, local onde, reza a lenda, três jovens foram mortos por um monstro há centenas de anos. Atualmente, há uma igrejinha pitoresca, legal de conhecer. E um grande crucifixo de madeira, que, junto à natureza do local, forma uma linda paisagem. Logo adiante, há uma casa (da foto), onde funcionava uma antiga venda, que mais lembra uma vila da região italiana da Toscana. É imperdível. Seguindo adiante, você pode ver, da própria pista, um casarão colonial muito bem conservado onde, dizem, a Princesa Isabel se hospedava quando vinha à região. Outro atrativo é almoçar por lá nos finais de semana. A melhor opção é o totalmente rústico e nada comercial (muito menos turístico) Bar do Juarez, frequentado pela população rural do próprio Balaio, com a típica comida mineira. É um ótimo passeio para fazer tanto de carro quanto de bicicleta.

02. Eixo Gastronômico

Eixo Gastronômico é o nome dado a um roteiro de bares e restaurantes concentrados na Rua Antônio Moreira da Costa, onde permanecem intactas algumas construções antigas mais lindas da cidade. O projeto, ainda em fase inicial, já conta com cinco estabelecimentos, mas a previsão é de que até o final de 2017, haja ali a maior concentração de negócios ligados à gastronomia na região. O Eixo tem início em frente ao Grupão (Escola Estadual Delfim Moreira), mais precisamente no Dija Gastronomia [(35) 99917–3536], estabelecimento comandado pelo chef Adjair Franco. Considerado o bar / restaurante mais cult da cidade, o Dija é frequentado de noite por artistas e intelectuais e, durante o dia, por empreendedores do Vale da Eletrônica, já que funciona ali, informalmente, uma espécie de espaço do coworking movido à bolinho de chuva, especialidade da região, e o tradicional café do Sul de Minas. Em seguida, em uma casa antiga, em um espaço intimista, fica o Neco Comida Tex Mex [(35) 99751–2875], do chef Neco Dias que, após carreira de sucesso no Rio de Janeiro, retornou à cidade e oferece uma cardápio variado que vai de hambúrgueres, nachos e burritos no melhor estilo Tex-Mex à opções veganas e vegetarianas, além de, mais recentemente, massas artesanais. O terceiro estabelecimento é o Empório Mantiqueira [(35) 99227–0641], que oferece produtos diferenciados ligados à gastronomia e a estilos específicos de alimentação. No final da rua, já próximo à Praça Santa Rita, fica o restaurante Casa da Mãe Joana [(35) 3473–0933], do jovem chef Wagner Kurt, em um casarão colonial que já foi até sede da prefeitura de Santa Rita no passado. Dobrando a equina, em um trechinho da Rua Francisco Palma, fica o bistrô Casa do PI [(35) 3471–1804], do chef Vagner de Simoni, que trouxe seus aprendizados gastronômicos da Espanha para a Santa Rita e atrai visitantes de toda parte pela sua fama e sabores incríveis (da foto). Durante o festival de criatividade e inovação Hack Town, que ocorre anualmente em Santa Rita no início de Setembro, muitos destes estabelecimentos funcionam como local de palestras.

03. Serra do Paredão

Parte do Parque Ecológico Municipal de Santa Rita do Sapucaí, apresenta um visual incrível e paisagens impressionantes. È também onde fica uma das principais pistas de voo livre do país, com condições de salto e clima que atraem praticantes do mundo todo, principalmente aos sábados e domingos pela manhã (da foto). Um dos locais de pouso dos paragliders é o Pesqueiro Tô a Tôa [(35) 3471–1730], bem próximo do local. Lá é possível pescar, almoçar ou tomar uma cerveja gelada com ótimos petiscos com a serra de fundo. Uma paisagem sem igual. O acesso à serra se dá pela Cidade Nova, passando a Cidade do Urso. Fica a cerca de 20 minutos (de carro) do centro de Santa Rita.

04. Campus do Inatel

O Teatro Inatel é o mais bem equipado da região, e tem uma programação cultural intensa (chega a ter mais de 5 eventos por semana em determinadas ocasiões) e de alta qualidade [(35) 3471–9200 — http://www.inatel.br/inatelcultural/]. São espetáculos teatrais, show de música, exibições de cinema, palestras dos mais diversos tipos e eventos de peso Global (como o TEDxInatel, o Startups Weekend e o Magical Minds). Tem também as exposições temporárias do Espaço Cultural Inatel, uma pracinha onde os estudantes ficam batendo papo e estudando, quadras esportivas, construções modernas e um lindo jardim. Ali também acontecem manifestações eventuais interessantes, como bandas nos intervalos das aulas e celebrações culturais. Um exemplo é das festividades da independência Angolana, todo dia 10 de novembro (devido ao grande número de alunos que vem do país africano estudar na cidade). Para os interessados por inovação e tecnologia, o programa mais interessante é passear pelo campus do Inatel para bater papo com algum futuro empreendedor de sucesso ou algum pesquisador com projetos futuristas, como o professor que está construindo a internet do futuro.

05. Cachoeirinha

Bairro que é, oficialmente, parte município de Cachoeira de Minas. No entanto, pela proximidade, mais parece parte de Santa Rita do Sapucaí. Além de paisagens e igrejinhas que vale a pena conhecer, tem duas atrações muito visitadas por quem vem à região. O primeiro é o Restaurante Japão [(35) 99906–6708], que apesar do nome oferece, em ambiente rústico, simples e totalmente autêntico, o melhor da comida mineira nos finais de semana. E a Fazenda Malhada [(35) 3641–1622], propriedade de um italiano que produz ali Presunto de Parma, queijo Grana Padano e outros produtos típicos da Itália (da foto). A fazenda funciona de segunda a sexta de 8 a 17h, e aos sábados de 8 a 11h.

06. Avenida Beira Rio

Local ótimo para passear, caminhar, bater papo e fazer piquenique. Além do Rio Sapucaí, que é lindo, tem uma ‘pracinha’ com as ruínas de um casarão antigo ao fundo, e algumas manilhas (resto de alguma obra), que dão um charme ao local. Tem grafite embaixo da ponte e na pista de skate, é onde jovens fazem slackline, e costuma ficar repleto de capivaras em dias quentes. Todo fim de tarde (faça sol ou chuva), acontece o lindo espetáculo das garças, em que centenas delas chegam voando e ocupam uma grande árvore às margens do rio. Há grandes oportunidades de melhoria em estrutura, instalação de quiosques, e outros atrativos. Mesmo assim, é, inegavelmente, um local muito agradável.

07. Serra da Manoela

Com acesso pela estrada do Vintém, o caminho já vale o passeio. É absolutamente lindo. Seguindo em frente na estrada de terra, a vista vai ficando cada vez mais linda, e o conjunto de morros, em meio a plantações de café, criam uma experiência visual incrível. Dá pra ir de carro (exceto em época de muita chuva, em função do barro), de bicicleta, e até mesmo a pé (com um pouco de disposição). Tem uma das vistas mais fantásticas do Sul de Minas.

08. Praça Santa Rita

Por mais óbvio que pareça, pouca gente frequenta o local. E ao contrário do que muitos dizem, há muito para se fazer ali. Algumas das residências dos auges da cafeicultura, com arquitetura fantástica, estão ali, além do lindo prédio onde funciona o fórum. Vale apreciar. O Santuário de Santa Rita de Cássia também merece a visita. Tem também o Café Caruso [(35) 3471–1173], lugar perfeito para um café, torta, salgados e um bom papo. Tem o bar Fundo de Quintal [(35) 3471–7792], para petiscos mineiros. A fonte quando ligada nos finais de semana, promove um espetáculo à parte (da foto). A Alameda das Flores traz um espaço bem simpático, com a Tribo do Açaí [(35) 3471–3995], point de adolescentes da cidade. Para quem busca boa gastronomia, tem o comecinho do Eixo Gastronômico, com o bistrô Casa do PI [(35) 3471–1804], com um cardápio e ambientes mais sofisticados, e o restaurante Casa da Mãe Joana [(35) 3473–0933], que funciona em um lindo casarão colonial. Todo sábado de manhã tem feirinha, com churros, tapioca, pastel, pão com linguiça, artesanato e artistas plásticos vendendo suas obras. E todo dia, no fim da tarde, alguns food trucks estacionam ali com opções deliciosas, como o famoso cachorro quente prensado e o famoso pão com pernil. Em julho, tem o festival gastronômico Sabores do Vale e, em agosto, tem o Feirão Folclórico e o Vale Music (festival de jazz & blues), que transformam a praça em um local único.

09. Bom Retiro

É um bairro rural de Santa Rita do Sapucaí conhecido pelo peculiar sotaque dos seus moradores, pelas lindas paisagens e pelos alambiques que produzem cachaça da melhor qualidade. O engenho mais famoso é o do Sr. Joaquim Laurindo (da foto) [(35) 3471–1031], que vale a visita (é necessário ligar antes para agendar). A região não é oficialmente explorada de forma turística e os alambiques não encaram a visitação com cunho comercial. Mesmo assim, vale explorar pedindo informações nas redondezas. Chegando no bairro Bom Retiro, existe uma pracinha e uma igrejinha. É uma verdadeira viagem no tempo.

10. Mercado Municipal

O mercado não é só um lugar para se comer pastel aos sábados de manhã. Tem uma das melhores opções em comida rústica da cidade, no restaurante Comida Mineira. Além disso, tem pastel de milho, tradicional na região e bancas com uma infinidade de rótulos de cachaças artesanais, além de temperos, verduras e legumes difíceis de encontrar em outros locais, como a abobrinha caipira. Também é possível comprar arroz vermelho, queijo da serra da canastra e da região, a famosa linguiça do Açougue do Giovani, e o tradicional chouriço do Anísio. Abre de segunda a sábado, de 8 a 18h. [Alameda José Cleto Duarte, 101 — Centro].

11. Serra do Pedrão

Para quem estiver disposto a ir um pouquinho mais longe, este é um passeio imperdível. A Serra do Pedrão é um incrível paredão rochoso com quase 1.500 metros de altitude que fica próximo à cidade de Pedralva, cerca de 40km de Santa Rita. Lá de cima, a vista é fantástica. Ao longo dos seus 300 metros de extensão, é possível ver várias cidades, inclusive Santa Rita do Sapucaí. Possuí seis vias de escalada, uma pista de voo livre e uma ruína de pedras sobrepostas, habitação de um antigo eremita chamado Benáia, que viveu por ali em meados dos anos 1940. Se lá em cima a experiência é incrível, a visão da pedra ao longo da rodovia que leva à Pedralva, e da estrada de terra que leva à pedra, é inacreditável. A sinalização é ruim, mas para chegar lá uma possibilidade é programar o Google Maps para se dirigir à Estação Pedrão, bairro isolado de Pedralva que fica logo ali do lado.

12. Vinícola Luiz Porto

Criada recentemente por um viticultor sulmineiro que realizou seu mestrado e doutorado nas principais regiões viticultoras da França, a técnica de dupla poda iniciou uma revolução na produção de vinhos do Sul de Minas. A região, antes conhecida apenas pelos vinhos de baixa qualidade, os vinhos de mesa, começa a despontar na produção de vinhos finos, de altíssimo nível — principalmente com as uvas Syrah. Uma das vinícolas que vem se destacando neste movimento é a Luiz Porto, que fica na cidade de Cordislândia, cerca de 90 km de Santa Rita do Sapucaí. Além de degustar os vinhos, você pode visitar a vinícola e almoçar no local. Mas antes, é necessário fazer sua reserva pelo telefone da fazenda [(35) 3244-1226]. É uma experiência bem diferente, que vale muito a pena. No local também se produz a cachaça Minas Brasil, e em breve se iniciará a produção de grapa.