Ceará possui apenas 807 terapeutas ocupacionais

A profissão auxilia na autonomia nasatividades cotidianas

Diogo Cordeiro Nunes

No estado do Ceará existem apenas 807 terapeutas ocupacionais registrados no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO). No Brasil esse número é de 15.550 atuantes. A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza como parâmetro ideal de atenção à saúde da população a relação de um profissional para cada 1.000 habitantes, ou seja, há um déficit de profissionais em todo o país.

Atualmente, o CREFITO vem lutando pela implantação do curso de Terapia Ocupacional na Universidade Estadual do Ceará (UECE). De acordo com a profissional Kamylle, o projeto está tramitando no legislativo e a expectativa é positiva quanto à abertura do curso, tendo em vista a necessidade de formar novos profissionais na área. A graduação oferecida pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR) será extinta em 2017.

Para a estudante Sara Silvestre Farias, acadêmica do 8º semestre de terapia ocupacional, o curso propicia para o profissional novas habilidades de enxergar o paciente, não vendo apenas o diagnóstico ou a doença, mas todas as áreas de sua vida, focando em suas possibilidades e habilidades. Sobre o fechamento do curso na UNIFOR, a estudante revelou que o ideal é avançar e não retroceder. “Mais uma porta se fechará. É preciso investir cada vez mais na profissão que ainda é tão pouco conhecida”, disse.

As terapeutas ocupacionais Luzianne Feijó e Kamylle Tavares. Créditos: Diogo Cordeiro Nunes

A Terapia Ocupacional (T.O) é uma profissão pouco conhecida pelas pessoas, mas ela é uma atividade muito importante para promover autonomia de indivíduos com dificuldades de se integrarem à vida social em razão de problemas físicos, mentais ou emocionais.

De acordo com a vice-presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO), Luzianne Feijó, o terapeuta ocupacional é aquele que estuda a ocupação humana, o modo como o ser humano realiza as atividades durante o cotidiano, sendo elas de autocuidado, como comer, se vestir, tomar banho ou as de produtividade, que consistem nas atividades referentes ao estudo, ao trabalho e aos afazeres domésticos.

A presidente da Associação Cearense de Terapia Ocupacional (ACTO), Kamylle Tavares complementou dizendo que o profissional tem a responsabilidade de envolver pessoas em atividades que tragam significado à vida. “Trabalhamos os sonhos, desejos, a busca da identidade por meio da ocupação”, disse.

Encontros estudantis

Entre os dias 24 a 27 de outubro, a cidade de Fortaleza sediará o XI Congresso Norte e Nordeste de Terapia Ocupacional (CONNTO), que tem como tema o “Centenário da Prática Clínica da Terapia Ocupacional: Perspectivas Contemporâneas”. O evento acontecerá no Hotel Praia Centro, na Beira Mar e é voltado para profissionais e acadêmicos da área. As inscrições podem ser feitas no site do congresso.

Ouça na íntegra um trecho da entrevista com a terapeuta ocupacional Luzianne Feijó.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.